Uruguai deixou Carrasco orgulhoso

Juán Ramón Carrasco, o técnico uruguaio, estava orgulhoso após o jogo em Curitiba, na noite de quarta-feira. "Conseguimos virar o jogo contra o Brasil sem dar patadas, sem usar a história da falsa garra uruguaia e conseguindo jogar com a bola rolando na grama. Não pudemos manter a vitória, mas esse ponto foi muito importante para nós", disse ele, após conseguir um 3 a 3 fora de casa.Mais do que um treinador, Carrasco adota a postura de alguém que tem a missão de salvar o futebol uruguaio, tirando-o dos esquemas covardes para levá-lo ao ataque. "Sempre aposto na vitória, sempre quero vencer, mas não podemos esquecer que estamos em fase de mudança. Isso leva tempo, não é como o Brasil, que joga dessa maneira bonita há mais de 50 anos. Nós estamos iniciando um processo que vai dar certo, tenho certeza", avisou.Mesmo com o resultado da quarta-feira, Carrasco não é unanimidade entre os uruguaios. Jornalistas o chamavam de louco, mesmo quando o Uruguai havia passado à frente. O jornal El País deu a seguinte manchete: "Uruguai jogou bem quando Carrasco colocou aqules que deveriam jogar", referindo-se à entrada de Recoba, Chevantón e Nuñez.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.