Uruguai pode ter quatro reforços

Mais do que o futebol uruguaio, a pressão da torcida será, seguramente, um grande adversário para a seleção brasileira, domingo, em partida válida pelas Eliminatórias para a Copa de 2002. Na quarta-feira, a Associação Uruguaia de Futebol anunciou que os 62 mil ingressos postos à disposição do público foram vendidos. Os dirigentes esperam, entre torcedores e convidados, mais de 70 mil pessoas no estádio Centenário para o clássico sul-americano.Motivos para o interesse não faltam. O Uruguai depende de uma vitória para manter-se com chances de classificação para a Copa do Mundo de 2002. Se conquistar os três pontos, a equipe se iguala em pontos (21) com a seleção brasileira, com a qual passará a dividir a quarta posição.Assim como ocorre com Luiz Felipe Scolari, o técnico do Uruguai, Victor Púa, tem vários problemas para escalar o time. O atacante Olivera, um dos principais jogadores do grupo, sofreu convulsões no início da semana e não atuará no domingo. O ídolo da equipe, o meia Recoba, da Inter de Milão, foi suspenso por um ano pelo Comitê Disciplinar Italiano por uso de passaporte falso, mas deverá estar em campo. Por enquanto, a pena só é válida para jogos na Itália. O treinador, porém, está preocupado com a condição psicológica do seu maior craque.Por outro lado, Púa recebeu boas notícias dos médicos nesta quinta-feira. Os zagueiros Alejandro Lembo e Paolo Montero, o lateral Gustavo Méndez e o atacante Darío Silva estão praticamente recuperados de contusão. Silva marcou o gol uruguaio na partida do ano passado, no Maracanã, onde Brasil e Uruguai empataram por 1 a 1.Segundo uma rádio de Montevidéu, os jogadores ameaçaram abandonar a concentração, em Punta del Este, litoral do país, em protesto contra a Associação Uruguaia, que não teria pago o prêmio pela vitória de 1 a 0 sobre o Chile. A comissão técnica negou o fato.

Agencia Estado,

28 de junho de 2001 | 19h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.