Uruguai quer mudar data da repescagem

Pela segunda vez consecutiva, o Uruguai vai decidir sua vaga na Copa do Mundo numa repescagem contra a Austrália. Os jogos serão nos dias 12 e 16 de novembro, mas os uruguaios querem mudar a data do confronto.O Uruguai conseguiu chegar à repescagem depois da vitória sobre a Argentina, por 1 a 0, quarta-feira, em Montevidéu, pela última rodada das Eliminatórias. Agora, como o confronto com a Austrália terá dois jogos no período de 4 dias e a viagem entre os dois países dura mais de 20 horas, os uruguaios defendem que a primeira partida seja antecipada do dia 12 para o dia 11 de novembro.Mas a Associação Uruguaia de Futebol revelou que ainda vai consultar a Austrália antes de fazer a solicitação oficial à Fifa. ?Estamos estudando o caso?, afirmou o presidente da entidade, Eugenio Figueiredo.Estratégia - Independente da data do jogo, a Austrália pretende chegar a Montevidéu apenas no dia do jogo. Antes, deve ficar treinando provavelmente na Argentina, para evitar o que aconteceu na repescagem da Copa de 2002. Na ocasião, a delegação australiana sofreu com a recepção da torcida uruguaia.?Iremos para lá o mais tarde possível?, admitiu o auxiliar técnico da seleção australiana, Graham Arnold, após lembrar o clima de provocação e medo que os torcedores uruguaios causaram quatro anos atrás em Montevidéu.Dentro de campo - Enquanto isso, as duas seleções já começaram a se concentrar no confronto decisivo da repescagem. ?Vai ser mais difícil do que foi contra a Argentina. Os australianos têm muita força física, evoluíram bastante e são de um continente que quer ir a um Mundial há muito tempo?, avisou o zagueiro uruguaio Lugano, que joga no São Paulo.?Creio que é uma vantagem enfrentar o Uruguai, ao invés de Colômbia e Chile (outros países sul-americanos que tinham chances de ir à repescagem). Já estivemos lá e sabemos o que esperar. Sabemos os problemas que tivemos quatro anos atrás?, afirmou o jogador australiano Kevin Muscat.

Agencia Estado,

13 de outubro de 2005 | 16h43

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.