Uruguai vai brigar por Recoba na Fifa

A Associação Uruguaia de Futebol (AUF) e a Confederação Sul-Americana de Futebol (CSF) vão usar de todos os meios jurídicos junto à Fifa para garantir a presença do atacante Alvaro Recoba na partida contra o Brasil pelas eliminatórias do Mundial de 2002, no dia 1º de julho, em Montevidéu. O jogador foi suspenso por um ano pela comissão disciplinadora da Federação Italiana de Futebol por uso de passaporte falso. ?Vamos defender Recoba porque esta sanção pode afetar sua participação nas futuras partidas das eliminatórias?, disse nesta quarta-feira o vice-presidente da CSF, Eugenio Figueredo. ?Que ele seja punido no clube onde atua (Internazionale de Milão) tudo bem, mas a seleção uruguaia é alheia a esse problema e não pode ser privada de uma de suas maiores estrelas?, bravejou.Além de Recoba, o técnico da seleção uruguaia, Victor Púa, sofreu nova baixa no ataque. O atacante Oliveira sofreu convulsão durante a concentração da equipe, em Punta del Este, a 150 quilômetros de Montevideú, e não terá o jogador para o jogo contra o Brasil. A exemplo do jogador uruguaio, os brasileiros Dida, Fábio Junior, Alberto, Warley, Jorginho Paulista, Jeda e Dedé; o argentino Gustavo Bartlet e o paraguaio Pablo Da Silva também receberam a mesma sentença. Dos envolvidos no processo, somente o argentino Juan Sebastián Verón foi absolvido.

Agencia Estado,

27 de junho de 2001 | 13h07

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.