Uruguai vai com tudo para cima da Venezuela

O Uruguai promete encurralar a Venezuela desde o início do jogo, quarta-feira, em Montevidéu, pela quinta rodada das Eliminatórias. Mesmo que o adversário seja a seleção que mais se desenvolveu nos últimos tempos, conseguindo até duas vitórias nas duas últimas partidas, o técnico Juán Ramón Carrasco não muda: vai ao ataque desde o primeiro lance.Como em todos os jogos em Montevidéu, atuará no esquema 3-3-1-3, com dois zagueiros (Christián González, pela direita e Alejandro Lago, pela esquerda) marcando os atacantes adversários homem-a-homem, ajudados por um líbero (Diego López). O sistema defensivo se completa com o volante Marcelo Sosa.A partir daí, todos atacam. O meia Liguera atua pela direita e Richard Nuñez, que joga como centroavante na Suíça, coloca-se pela esquerda. Recoba, da Inter de Milão, é o armador, aproximando-se sempre dos atacantes Chevantón, pela direita, Bueno, no centro, e Forlán, pela esquerda.Carrasco surpreendeu em algumas convocações. Pela primeira vez ele chamou o goleiro Fabián Carini, um dos destaques das últimas Eliminatórias. E convocou ainda dois jogadores por quem nunca escondeu suas dúvidas: Pandiani, do espanhol La Coruña, e Luís Romero, do Nacional.Para Carrasco, eles são jogadores que têm sucesso apenas em jogadas pelo alto, e esse não é o estilo que gosta. Aliás, abomina. As especulações são duas: Carrasco resolveu criar um "plano B", para o caso de o jogo estar muito difícil, recorrendo a cruzamentos, ou cedeu às pressões pela convocação de jogadores "europeus".Venezuela - A Venezuela, comandada por Richard Paez, espera por uma nova surpresa. Nas duas últimas rodadas, venceu a Colômbia, fora de casa (1 a 0) e a Bolívia, em casa (2 a 1), marcando seus gols nos dois últimos minutos de jogo.A situação melhorou mesmo na Venezuela. Há até (coisa impensável há pouco tempo) jogadores atuando no exterior: Gabriel Urdaneta, que joga na Suíça, Juan Arango, do Puebla, do México, Héctor González, do Colón da Argentina, e Alejandro Moreno, do Los Angeles Galaxy, dos Estados Unidos.No último Pré-Olímpico, os venezuelanos, com um empate, tiraram as chances uruguaias de classificação. E na Libertadores times como Deportivo Táchira e Maracaibo sonham com a classificação. O zagueiro Rey, contundido, é a única dúvida de Paez.

Agencia Estado,

29 de março de 2004 | 10h48

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.