Uruguai vence Coreia do Sul e se garante nas quartas

O Uruguai voltou, 40 anos depois, às quartas de final de uma Copa do Mundo após conseguir uma vitória dramática neste sábado sobre a Coreia do Sul, por 2 a 1, no estádio Nelson Mandela Bay, em Port Elizabeth. O atacante Luiz Suárez marcou os dois gols uruguaios, um deles após linda jogada, e foi o grande herói da partida.

ITAMAR CARDIN, Agência Estado

26 de junho de 2010 | 13h06

Nas quartas de final, o Uruguai enfrentará o vencedor da partida entre Estados Unidos e Gana, que também será disputada neste sábado. O semifinalista será decidido na próxima sexta-feira, às 15h30 (de Brasília), no estádio Soccer City, em Johannesburgo.

Com a vitória em Port Elizabeth, o Uruguai se garantiu novamente nas quartas de final de uma Copa após 40 anos. A última vez em que passou das oitavas havia sido no Mundial de 1970, quando chegou na semifinal e perdeu por 3 a 1 para o Brasil. O gol marcado nesta partida por Cubilla, aliás, foi o último uruguaio em uma segunda fase de Copa.

Uruguai e Coreia do Sul fizeram uma substituição cada, em relação ao último jogo, para o decisivo confronto de oitavas de final. Recuperado de contusão, o zagueiro Godín entrou no lugar Victorino. Kim Jae-Sung, por sua vez, ganhou a vaga de Yeom Ki-hun no meio de campo sul-coreano.

Depois de um início movimentado, Suárez abriu o placar logo aos oito minutos, aproveitando falha do goleiro Jung Sung-Ryong. Com apenas Park Chu-Young isolado no ataque, a Coreia do Sul não teve força para reagir no primeiro tempo. O Uruguai se aproveitou e quase ampliou duas vezes, em lances polêmicos invalidados pelo árbitro alemão Wolfgang Stark.

Na etapa final, os sul-coreanos voltaram melhor. Pressionaram muito durante o início do segundo tempo e desperdiçaram ao menos duas boas oportunidades. Empataram enfim aos 22 minutos, com Chung-Yong. Suárez, no entanto, novamente fez a diferença. E com um belo gol, desempatou a partida e assumiu a artilharia do Mundial com três gols.

O JOGO - As duas seleções iniciaram a partida em ritmo alucinante. Logo aos quatro minutos, após Maxi Pereira cometer falta em Park Ji-Sung na entrada da área, Park Chu-Young bateu com perfeição e acertou a trave. O Uruguai não demorou para responder, contando com mais uma atuação inspirada de Forlán. Primeiro, o atacante arriscou da intermediária e Sung-Ryong fez boa defesa. E aos oito, ele recebeu na esquerda, fintou o marcador e cruzou. Dessa vez, o goleiro falhou feio e não cortou o passe rasteiro, fraco, deixando a bola livre para Luiz Suárez abrir o placar.

Depois do gol, o ritmo da partida diminuiu. A Coreia do Sul tentava partir em busca do empate, mas encontrava dificuldade para superar o compacto sistema defensivo adversário. A forte marcação iniciava já no meio de campo, com o próprio Forlán. Em vantagem, o Uruguai ainda cadenciava o jogo quando tomava a posse de bola. Tocava a bola com paciência, levando ainda um pouco mais de perigo quando chegava ao ataque.

Aos 27 minutos, quase saiu o segundo: Suárez saiu sozinho em direção ao gol, mas o árbitro Wolfgang Stark marcou impedimento. Os uruguaios, no entanto, reclamaram que o toque para o atacante partiu de um defensor sul-coreano.

Com dificuldade para superar a marcação adversária, a seleção asiática passou a apostar em chutes de fora da área. Jung-Woo finalizou aos 29 minutos e mandou longe, por cima do gol. Dois minutos depois, Chu-Young foi mais eficiente. Avançou pelo meio, arriscou e a bola passou próxima à trave. Du-Ri também tentou aos 40 e aos 44, sem sucesso.

A partida já se encaminhava para o intervalo quando o árbitro mais uma vez irritou os uruguaios. Suárez deu bonito chapéu no defensor, bateu da entrada da área e a bola bateu na mão de Sung-Yueng. Apesar dos pedidos de pênalti, Wolfgang Stark ignorou, o jogo prosseguiu e, no lance seguinte, marcou falta para os sul-coreanos após a bola tocar no braço de Lugano.

Na volta do intervalo, uma mudança no Uruguai: Godín sentiu novamente a lesão e foi substituído por Victorino. A Coreia do Sul, por sua vez, retornou melhor. Logo aos quatro, Chu-Young deixou cruzamento passar e Fucile tirou antes que Jae-Sung completasse. No minuto seguinte, o próprio Chu-Young recebeu rebote sozinho e, dentro da área, finalizou por cima.

Recuada, a seleção uruguaia aceitava a pressão sul-coreana. Tinha dificuldades para manter a posse de bola e atuava com quase todos os jogadores no campo de defesa. Os asiáticos insistiam. Tentavam em chutes de fora da área, em cruzamentos, em tabelas pelo meio. Mas encontravam dificuldades para superar a então imbatível defesa adversária.

Mas a forte pressão, enfim, resultou no gol de empate aos 22 minutos. Após cobrança de falta pela esquerda, a zaga uruguaia afastou mal e a bola sobrou sozinha para Chung-Yong marcar de cabeça. Foi o primeiro gol sofrido pelos uruguaios na Copa.

Somente depois do empate o Uruguai voltou a atacar. E pressionou com muito perigo, principalmente com Suárez. Aos 28, o atacante dominou na direita e bateu cruzado, exigindo boa defesa de Sung-Ryong. No minuto seguinte, ele recebeu lançamento na esquerda e, sozinho, cabeceou para fora.

O próprio Suárez, no entanto, foi mortal aos 34 minutos. E com um lindo gol, desempatou a partida. Após cobrança de escanteio, ele pegou o rebote no bico da grande área, cortou o marcador e bateu cruzado, com perfeição. A bola ainda bateu na trave antes de balançar as redes. Foi o terceiro gol do atacante no Mundial, que se tornou artilheiro ao lado do espanhol David Villa, do eslovaco Vittek e do argentino Higuaín.

A Coreia do Sul voltou a pressionar nos minutos finais e desperdiçou uma grande chance com Dong-Gook, que recebeu sozinho na área e finalizou. A bola passou pelas pernas de Muslera e se encaminhava lentamente para o gol, quando Lugano apareceu, salvou e garantiu a classificação história para o Uruguai.

FICHA TÉCNICA:

Uruguai 2 x 1 Coreia do Sul

Uruguai - Muslera; Maximiliano Pereira, Lugano, Godín (Victorino) e Fucile; Pérez, Arévalo e Alvaro Pereira (Lodeiro); Forlán, Suárez (Fernandez) e Cavani. Técnico: Oscar Tabárez.

Coreia do Sul - Jung Sung-Ryong; Cha Du-Ri, Cho Yong-Hyung, Lee Jung-Soo e Lee Young-Pyo; Ki Sung-Yueng (Ki-Hum), Kim Jung-Woo, Lee Chung-Yong, Park Ji-Sung e Kim Jae-Sung (Dong-Gook); Park Chu-Young. Técnico: Huh Jung-Moo.

Gols - Suárez, aos 8 minutos do primeiro tempo; Chung-Yong, aos 22, e Suárez, aos 34 minutos do segundo tempo.

Cartões amarelos - Jung-Woo, Yong-Hyung e Du-Ri (Coreia do Sul).

Árbitro - Wolfgang Stark (Alemanha).

Público - 30.597 espectadores.

Local - Estádio Nelson Mandela Bay, em Port Elizabeth (África do Sul).

Tudo o que sabemos sobre:
Copa 2010futebolUruguaiCoreia do Sul

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.