Lucas Figueiredo/CBF
Lucas Figueiredo/CBF

Turner e Bandsports fecham acordo e vão transmitir Uruguai x Brasil

Será possível assistir ao jogo da seleção brasileira na internet e no pay-per-view

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

13 de novembro de 2020 | 11h13
Atualizado 17 de novembro de 2020 | 07h26

O jogo Uruguai x Brasil marcado para terça-feira, às 20h (horário de Brasília), em Montevidéu, terá transmissão no canal de streaming EI Plus, na internet, e em um canal de pay-per-view da BandSportsA Turner fechou na sexta-feira com a Mediapro, dona dos direitos televisivos, o acordo para exibir a partida válida Eliminatórias para a Copa do Mundo. Já a BandSports acertou na segunda-feira. 

O acordo encerrou um suspense que colocava em risco a exibição da partida para o Brasil. A Rede Globo e o SBT chegaram a negociar para obter a transmissão da partida, mas as conversas não evoluíram como o esperado. A Band também mostrou interesse, mas as conversas travaram. A BandSports não vai passar em seu canal convencional, na TV fechada. Será apenas em um canal exclusivo pay-per-view. Tanto no EI Plus, quanto na BandSports, para assistir ao jogo, o preço será de R$ 19,90. 

O impasse para que alguma emissora de TV aberta transmitisse o jogo estava no valor cobrado pela empresa para a liberação do sinal do jogo. A quantia é tratada em sigilo, mas sabe-se que varia entre US$ 1 milhão e US$ 1,5 milhão apenas para exibir um jogo, contra o Uruguai. Isso daria entre R$ 5 milhões e R$ 8 milhões. Existe um pacote completo das Eliminatórias que pode chegar a R$ 100 milhões. 

Nos bastidores, a Globo se mostra incomodada com a situação, já que a história deve se repetir sempre que o Brasil atuar fora de casa. Ela comprou o pacote das partidas do Brasil em casa e da seleção argentina. Por isso, existem conversas para acertar definitivamente a compra de todos os jogos (pelo menos da seleção brasileira), mas a Mediapro tem pedido valores elevados e a emissora acredita que, se aguardar, poderá conseguir preços mais atrativos. 

A Globo apostava que a empresa poderia diminuir o valor pedido ao perceber que nenhuma outra emissora de TV aberta pagaria o que ela pede. A emissora tem carta na manga que é a questão da visibilidade, já que é uma emissora que tradicionalmente tem boas marcas de audiência com jogos de futebol. Mas o acerto da Mediapro com Ei Plus e Band Sports fez com que a emissora carioca avaliasse que não valeria insistir na briga para ficar com o jogo.

Para a Turner e a BandSports, o acordo para o jogo do Brasil com o Uruguai foi sacramentado com valores menores, com a Mediapro recebendo parte da venda do pay-per-view do canal, que só é possível assistir pelo site e aplicativo da EI Plus. O acerto seria uma forma encontrada pela empresa da Conmebol para amenizar o prejuízo por não ter os patrocinadores das seleções e da própria competição exibidos no Brasil.

Na visão de Bruno Maia, especialista em inovação e novos negócios na indústria do esporte e sócio da 14, agência de conteúdo estratégico, a discussão sobre os direitos de transmissão e essa barganha para reduzir custos e valores é algo natural em razão do momento delicado financeiramente vivido pelas empresas. "Estamos em transição do modelo econômico das transmissões de jogos, vivendo grande expectativa da entrada de novas plataformas de transmissão nessa disputa. Ao mesmo tempo, vivemos momento de crise econômica e de limites de investimento desses novos concorrentes", comentou ao Estadão.

"A combinação dessas duas características não nos sugere que esse fosse o melhor momento para se mudar a regulamentação, pois corremos o risco de cair nesses vazios que vemos agora: quem quer vender os direitos para novas plataformas ainda não encontra capacidade de investimento e quem tem capacidade de investimento não quer aceitar mudanças no que havia. Quem sofre é o consumidor, ficando sem um produto com as características que ele estava acostumado a ter", disse Maia. 

Lei Pelé obriga a transmissão do jogo na TV aberta?

O artigo 84-A da Lei Pelé deixa claro que todos os jogos da seleção brasileira tem competições oficial deverão ser transmitidos na TV aberta, mas a lei causa discussão entre os canais de TV e o Governo. "Todos os jogos das seleções brasileiras de futebol, em competições oficiais, deverão ser exibidos, pelo menos, em uma rede nacional de televisão aberta, com transmissão ao vivo, inclusive para as cidades brasileiras nas quais os mesmos estejam sendo realizados. (Incluído pela Lei nº 9.981, de 2000)", diz o artigo. 

De acordo com a lei, "as empresas de televisão de comum acordo, ou por rodízio, ou por arbitramento, resolverão como cumprir o disposto neste artigo, caso nenhuma delas se interesse pela transmissão. O órgão competente fará o arbitramento. (Incluído pela Lei nº 9.981, de 2000)."

O problema é que para o jogo passar em uma TV aberta, é preciso que alguém compro os direitos de transmissão e repasse para um canal. Caso contrário, cria-se um imbrólio e pode sobrar até para o Governo ter que acarcar com os custos do jogo, embora essa seja uma chance bem pequena. 

Uruguai x Brasil na TV Brasil?

Ao contrário do que aconteceu na segunda rodada das Eliminatórias, quando a CBF comprou os direitos de exibição do jogo e repassou ao canal TV Brasil, a entidade que administra o futebol brasileiro descarta repetir a negociação. Pelo menos por enquanto. Na visão dos dirigentes da CBF, o retorno financeiro não compensa.

Nas primeiras rodadas das Eliminatórias Sul-Americanas, a EI Plus passou os jogos de todas as seleções após negociação idêntica a que está sendo feito agora. A Globo tem os direitos de transmissão de todos os jogos de Brasil e da Argentina como mandantes. Na quinta, por exemplo, o jogo dos argentinos contra o Paraguai foi transmitido pela SporTV. Nesta sexta, o Brasil encara a Venezuela com transmissão da TV Globo e também do SporTV. 

A mudança nas negociações dos direitos de transmissão dos jogos foi uma decisão da Fifa, que afeta todos os continentes. Antes, a venda era pelo pacote completo, com todos os jogos das Eliminatórias. Agora, cada seleção pode vender seus confrontos como mandantes e as federações decidiram contratar a empresa Mediapro para negociar em seus nomes. Ele trata individualmente, mas também partida a partida. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.