Juan Herrero/EFE
Juan Herrero/EFE

Uruguai x Portugal põe à prova boa fase de Suárez e Cristiano Ronaldo

Rivais no futebol espanhol, atacantes querem levar suas seleções às quartas de final da Copa

Marcio Dolzan, enviado especial / Sochi, O Estado de S.Paulo

30 Junho 2018 | 00h00

Pouco depois de o duelo entre Argentina e França abrir as oitavas de final da Copa do Mundo da Rússia, em Kazan, o Fisht Stadium, em Sochi, será palco de mais um grande confronto que valerá vaga nas quartas do Mundial. O Uruguai, de Luis Suárez, e Portugal, de Cristiano Ronaldo, se enfrentam a partir das 15 horas (de Brasília) deste sábado na partida que marca o duelo de jogadores que estão em alta na competição.

+ 'Não há muitos jogadores que conseguem parar Cristiano Ronaldo', diz Tabárez

+ Motivado, Suárez confia em jogo coletivo do Uruguai para derrotar Portugal

+ 'Acreditamos que chegou a nossa hora', diz Fernando Santos, técnico de Portugal

Apesar de ter perdido pênalti contra o Irã, o astro português tem quatro gols no torneio e briga pela artilharia geral, hoje liderada por Harry Kane, da Inglaterra, com cinco bolas na rede. O uruguaio Suárez marcou duas vezes na primeira fase. As duas estrelas levam para a disputa a rivalidade de Real Madrid e Barcelona, clubes que defendem no futebol espanhol.

Nesta sexta-feira, porém, o atacante do Barça minimizou a rivalidade clubística. Compenetrado ao lado do técnico Óscar Tabárez, o atacante ressaltou o duelo no contexto de um Mundial. “É totalmente diferente, a rivalidade que temos com Cristiano lá (na Espanha) é diferente. Sempre tratamos de competir cada um por seu clube e tentando fazer o melhor”, disse. “Aqui é uma Copa do Mundo, o sentimento é de cada um fazer o melhor para sua seleção, para o seu país. É especial.”

O uruguaio começou mal a Copa. Na estreia, diante do Egito, ele perdeu pelo menos três gols e foi bastante criticado. O próprio Suárez admitiu que fizera uma partida ruim, mas depois cresceu na competição. O atacante marcou gols nos dois confrontos seguintes, foi fundamental para a equipe e se tornou o maior artilheiro da história da seleção uruguaia, com 53 gols em 101 partidas.

 

Cristiano Ronaldo, por sua vez, iniciou a Copa com um desempenho espetacular e depois caiu de produção. Colocou a bola na rede três vezes na estreia, em uma grande partida diante da Espanha que terminou empatada em 3 a 3 graças a um golaço de falta que ele fez no final do confronto. Depois, marcou logo aos três minutos de partida com o Marrocos. E parou por aí.

Isso não quer dizer, contudo, que o jogador não possa ser o grande diferencial da seleção portuguesa na partida deste sábado. O técnico Fernando Santos até tentou destacar a importância do conjunto, mas não conseguiu esconder a dependência que sua equipe tem de Cristiano Ronaldo. “Portugal, e qualquer equipe, depende sempre dos melhores jogadores. Temos o melhor do mundo - eu o considero o melhor do mundo - e é claro que dependemos de Ronaldo”, comentou o comandante nesta sexta-feira.

O experiente técnico uruguaio disse que “seria fantástico” superar a seleção portuguesa, mas ao mesmo tempo pareceu resignado sobre como fazer para se proteger de Cristiano Ronaldo. “O Ronaldo, além de tudo, é o líder da equipe, o que é um fator adicional. Não há muitos jogadores que consigam pará-lo. Vamos tentar limitar o impacto que ele pode ter no jogo”, ponderou Tabárez.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.