Vadão mantém dúvidas na Ponte Preta

A Ponte Preta ainda tem algumas dúvidas para enfrentar o Bangu, sábado à tarde, em Moça Bonita, pelo Torneio Rio-São Paulo. Mas para o técnico Oswaldo Alvarez, o Vadão, não há nada que o preocupe, uma vez que ele está "estudando a melhor maneira de voltar do Rio com os três pontos". O jogo contra o Bangu, de repente, passou a ser de grande importância em termos de classificação final. A Ponte tem 15 pontos e pretende chegar aos 18 pontos para entrar no dérbi, contra o Guarani, em condições favoráveis para evitar inclusive ficar na última posição entre os clubes paulistas. O regulamento prevê que o último paulista e o último carioca estarão fora da competição na próxima temporada. As dúvidas ou alternativas de Vadão estão em todos os setores do time. Na lateral-direita, Carlos Alexandre e Anderson Araújo brigam pela mesma vaga. No meio-campo está confirmada a entrada do volante Dionísio ao lado de Roberto e Mineiro. Assim, a últim a vaga fica entre Caíco e Adrianinho. No ataque, o artilheiro Washington está confirmado, mas seu companheiro pode ser Humberto ou Orlando. O elenco treinou, nesta quinta-feira, em dois períodos. À tarde houve um mini-coletivo. Nesta sexta-feira cedo está previsto apenas um rachão e o embarque para o Rio de Janeiro.

Agencia Estado,

28 Março 2002 | 16h33

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.