Vadão perde a calma no São Paulo

A paz do técnico Oswaldo Alvarez acabou após a derrota para o Botafogo, em Ribeirão Preto, por 2 a 1, sábado. O treinador não gostou da apatia e desatenção do time e vai ter uma "conversa franca", amanhã, para acertar o time, pois tem pouco tempo para se preparar. Quarta-feira enfrenta o Ceará, pela Copa do Brasil. A atitude de Alexandre e Jean, que agrediram adversários, o irritaram. "Isto não pode se repetir. Vamos resolver com uma conversa interna," avisa. "O grito de olé mexeu com os brios dos jogadores, mas agredir é um exagero. O juiz foi bem ao expulsar o Jean." Vadão está indignado com alguns atletas. Há algum tempo ele vem pedindo aos seus jogadores para não perderem a cabeça e receber cartão desnecessariamente. Sábado, Rogério Pinheiro recebeu o segundo cartão amarelo e Jean foi expulso. Com isso, além da contusão de Belletti - trauma no joelho esquerdo - ficou com o setor defensivo enfraquecido. Contra o Botafogo, o São Paulo demonstrou problemas na marcação, principalmente no meio-de-campo. Kaká e Júlio Baptista foram mal na armação das jogadas e pouco eficientes no combate. Isso pode ocasionar mudanças na equipe. Vadão deve voltar ao esquema 3-5-2, e Kaká pode perder a posição para Carlos Miguel, que vem jogando bem. Kaká demonstra tranqüilidade e comenta sobre seu baixo rendimento. "Um dia isso ia acontecer. Nem sempre as coisas dão certo," comentou. "Estou preprarado para as dificuldades, disse o meia que faz um trabalho de peso, separado do time para adquirir força. Quem teve algo a comemorar, no sábado, foi o atacante França. Com o gol marcado, superou a marca de Raí e tornou-se o oitavo artilheiro da história da equipe, com 129 gols. Agora, tenta alcançar Maurinho, autor de 133 gols. O maior goleador é Serginho, com 242 gols. Patrocínio - Nesta semana, a diretoria do São Paulo pode anunciar o novo patrocínio da equipe, a LG, empresa de aparelhos eletroeletrônicos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.