Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians
Daniel Augusto Jr. / Ag. Corinthians

Vagner Love completa 35 anos e é dúvida no Corinthians para o clássico

Desde que foi regularizado, centroavante disputou 31 jogos em sequência e só ficou de fora da partida do último sábado, contra o Cruzeiro

João Prata, O Estado de S.Paulo

11 de junho de 2019 | 11h12

O atacante Vagner Love é uma das dúvidas para o último jogo do Corinthians antes da pausa para a Copa América, quarta-feira, contra o Santos, na Vila Belmiro, pela nona rodada do Campeonato Brasileiro. O jogador ficou fora da última partida, contra o Cruzeiro, por causa de dores na panturrilha.

Apesar dos 35 anos, completados nesta terça-feira, o centroavante foi um dos jogadores que mais entrou em campo pela equipe na atual temporada. Desde que foi regularizado pelo clube tinha disputado todas as partidas até o último sábado. Foram 31 jogos consecutivos. 

Ele vinha aguentando a maratona até então graças aos trabalhos específicos feitos com um personal trainer desde quando ainda estava na Turquia. Love ficou uns meses afastado do Besiktas no final do ano passado e janeiro deste ano por causa de salários atrasados. Enquanto negociava com o Corinthians, cuidou da alimentação e treinou duro.

Na apresentação ao clube paulista, chegou cinco quilos mais magro e de terceira opção para centroavante, se tornou titular absoluto. Carille não cansa de repetir nas entrevistas da importância do jogador, que se dá bem nas quatro posições do ataque: pela esquerda, pela direita, como centroavante e como segundo atacante.

Antes do problema na panturrilha, o treinador também disse que Love seria o centroavante titular da equipe até a pausa da Copa América. Com o problema, foi substituído por Gustagol, que teve atuação discreta no empate sem gols com o Cruzeiro no último sábado. O Corinthians fechou os treinos na segunda e na terça-feira. Também não informou sobre as condições clínicas de Vagner Love. Mas no que depender da vontade do aniversariante, estará em campo na próxima quarta-feira.

"Já falei aqui algumas vezes. Não importa a posição, quero jogar. Claro que me sinto mais confortável como centroavante, que é minha posição de origem. Mas onde o Carille me colocar vou dar o melhor para ajudar o Corinthians", comentou Love.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.