Vágner Love pode ficar sem bater pênaltis

A perda do pênalti no jogo de domingo contra o Santos pode custar a Vágner Love a perda da condição de batedor oficial do Palmeiras. A possibilidade foi levantada pelo técnico Jair Picerni, que embora tenha reconhecido as qualidades do atacante, reclamou de sua falta de concentração no clássico.O recado foi direto. "O Vágner precisa trabalhar mais as cobranças de pênaltis. Aumentar a concentração. Mas a experiência que lhe falta não será adquirida do dia para noite e sim, com o passar dos meses. Se não se encaixar nessa situação de jogo, certamente vou repensar se vale a pena insistir com ele", disse Picerni.O pênalti de domingo não foi o primeiro desperdiçado pelo atacante. Ano passado, em uma partida diante do Sport no Parque Antártica, Vágner Love chutou por cima do gol de Maizena. E, durante a pré-temporada, desperdiçou outro em um jogo treino diante do União São João."Trata-se de um jogador que ainda está em fase de crescimento. Por isso, no intervalo do clássico contra o Santos, o chamei no canto e disse que, se houvesse outro pênalti, deveria bater melhor, dar mais velocidade à bola. Mas não adianta nada pressioná-lo porque eu quero que as coisas aconteçam com naturalidade. Responsabilidade e qualidade para enfrentar o goleiro ele tem", afirmou o treinador do Palmeiras.Nesta segunda-feira, Vágner Love foi requisitado pelos jornalistas para se defender, mas a assessoria de imprensa do clube justificou que o jogador não poderia falar por estar realizando um trabalho de fortalecimento muscular. Ficam valendo as palavras que disse após o jogo de domingo. "Perder pênalti faz parte. Não me abati com o que aconteceu."O goleiro Marcos também emitiu sua opinião sobre o caso. "Não sei se eu teria cabeça para continuar batendo pênaltis depois de perder dois importantes", comentou. "Mas essa é uma situação muito particular, depende muito da personalidade de cada um."O Palmeiras volta a campo na quarta-feira, contra a Tuna Luso, em Belém, pela Copa do Brasil, novamente sem Marcinho, que sofreu uma crise asmática na véspera do clássico. O departamento médico do clube achou por bem poupá-lo, temeroso de que os remédios que tomou para se recuperar possam conter substâncias dopantes. Correia deve ser mantido em seu lugar."Tenho que mostrar um grande futebol sempre que entrar para poder lutar pela condição de titular", disse Correia, empolgado com mais uma chance.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.