Daniel Augusto Jr./ Ag. Corinthians
Daniel Augusto Jr./ Ag. Corinthians

Vagner Love sobre ser o 12º jogador do Corinthians: 'Tento incendiar'

Atacante participou dos 22 jogos da equipe desde sua reestreia e pode ser titular contra o Vasco, sábado, em Manaus

João Prata, O Estado de S.Paulo

03 de maio de 2019 | 16h35

O atacante Vagner Love não é titular do Corinthians, mas tem sido fundamental para a equipe na temporada. Foi dele o gol do título paulista contra o São Paulo e foi somente após a entrada dele que a equipe conseguiu a primeira vitória no Campeonato Brasileiro, quarta-feira, sobre a Chapecoense (1 a 0).

"Temos uma leitura melhor quando estamos de fora, e a gente entra para fazer a diferença. Quando estou fora, procuro os espaços, tento passar a melhor decisão, tento incendiar, levantar meus companheiros para que a gente consiga fazer a diferença e ganhar os jogos. O que falta ao Corinthians? Temos feito bons jogos, o Corinthians vem jogando bem, neste último criamos mais, é ter tranquilidade na finalização para conseguirmos os resultados"

Love entrou em todos os jogos do Corinthians desde sua reestreia, em fevereiro. Foram 22 partidas, sendo 12 como titular. "Não tinha percebido, fico feliz de ser a primeira opção muita das vezes, de 11 fui a primeira em 10 acho, mas isso é pela minha característica de entrar motivado e concentrado, e procurar ajudar. É o que venho fazendo nos treinos. Quem está fora, tem que fazer a diferença, entrar para mudar o jogo. Se fizer coisas diferentes, pode mudar o resultado da partida", comentou.

A maioria das vezes que entrou, no entanto, atuou como segundo atacante e não em sua posição de origem. Contra o Vasco, no sábado, na Arena da Amazônia, em Manaus, existe a possibilidade de finalmente o jogador atuar como centroavante.

"Caso o Carille conte comigo como centroavante ou pelo lado, vou estar à disposição, sempre deixei claro que quero estar em campo e ajudando. Na posição que optar, amanhã saberemos, vou tentar dar o máximo", disse o jogador.

Para a partida, o treinador não relacionou seis titulares: Henrique, Manoel, Fagner, Danilo Avelar, Junior Urso e Gustagol. Ralf, Clayson e Sornoza viajaram para Manaus, mas devem começar no banco de reservas.

"Vai ser um time competitivo, independentemente de entrosamento. No Corinthians, temos que dar o máximo. Se o Carille optar por quem vem jogando menos, pelo entrosamento dificulta um pouco, mas pelos treinos a gente vai levar essa competitividade. Isso por nos ajudar", analisou.

Uma das novidades no time titular pode ser a presença do jovem atacante Janderson, de 20 anos, que estreou ao entrar no segundo tempo do jogo contra a Chapecoense. "Ele é um menino muito bom, a gente deixa os meninos à vontade. Eu quando comecei tive ajuda do Marcão, goleiro, de outros experientes. Nunca liguei para intimidação, muitos falavam que iam quebrar minha perna e eu dizia que iam ter que achar para quebrar. Janderson é rápido, treina forte sempre, está preparado para nos ajudar. O que a gente passa é para ele dar continuidade ao que vem fazendo, com humildade e pé no chão. Vai nos ajudar", disse Love.

O Corinthians enfrentará o Vasco às 19h (de Brasília), na Arena da Amazônia. A escalação ainda é um mistério, mas o time pode entrar em campo com: Cássio; Michel Macedo, Marllon, Pedro Henrique e Carlos Augusto; Richard, Ramiro e Jadson; Vagner Love, Boselli e Mateus Vital (Janderson).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.