Vitor Silva/SS Press
Vitor Silva/SS Press

Vagner Mancini escancara condição física ruim do Botafogo

Treinador acha que seus jogadores não conseguem 'fazer nada' após os 20 minutos do segundo tempo

Agência Estado

26 de maio de 2014 | 11h57

MACAÉ - Depois de ver o Botafogo empatar por 1 a 1 com o Vitória, em Macaé (RJ), neste domingo, e seguir na zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, o técnico Vagner Mancini voltou a causar polêmica dentro do clube que dirige ao fazer duras críticas à condição física da equipe carioca. Ele escancarou o problema ao dizer que "após os 20 minutos do segundo tempo" das partidas o time não consegue "fazer mais nada" produtivo dentro de campo.

Dez dias antes, após uma derrota por 2 a 0 para o Goiás, em Juiz de Fora (MG), o treinador já havia manifestado certa insatisfação ao dizer que estava trabalhando com um elenco de opções limitadas e que o Botafogo precisava de reforços para a continuidade da temporada.

No último domingo, o time botafoguense chegou a abrir 1 a 0 com um gol de Emerson no primeiro tempo, mas depois sofreu o empate na etapa final e não teve mais forças físicas para ter chance de buscar o resultado positivo, segundo apontou Mancini.

"Me incomoda o fato de você estar com o jogo na mão, com várias oportunidades para que saísse o segundo gol, aí de repente você entrega a bola ao adversário, o adversário sai do centro do campo, faz a jogada, a jogada acontece e sai o gol de empate. Aí eu tenho que ver o Botafogo com uma falta de força incrível, falta de físico, uma equipe que não consegue realizar nada após os 20 minutos do segundo tempo", afirmou o treinador, lembrando que o problema vem sendo recorrente.

"Isso aconteceu no jogo do Grêmio, aconteceu hoje e em outros jogos também. Essa é uma deficiência que temos hoje e que o mais rapidamente teremos de acertar após a Copa do Mundo, pois não temos mais tempo para isso agora, mas é visível a queda de força, dos níveis de força e de velocidade dos atletas de uma maneira geral, e isso tem nos prejudicado. Durante os jogos a gente tem sofrido muito a partir dos 20 minutos do segundo tempo", reforçou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.