Érico Leonan / São Paulo
Érico Leonan / São Paulo

Vagner Mancini pode ter de mudar esquema do São Paulo para o clássico

Bruno Alves terá de cumprir suspensão e isso pode levar treinador a deixar de lado o esquema com três zagueiros

Paulo Favero, O Estado de S.Paulo

13 de março de 2019 | 04h32

A suspensão do zagueiro Bruno Alves pode fazer com que o técnico Vagner Mancini tenha de mudar o esquema tático do São Paulo para o clássico de sábado com o Palmeiras. A equipe vinha entrando em campo com três zagueiros e, caso queira manter o sistema, o treinador terá de colocar um jovem defensor na posição ou até improvisar Jucilei na função.

No último treinamento da equipe, Mancini começou a esboçar o São Paulo com uma linha de quatro defensores, com Igor Vinicius, Arboleda, Anderson Martins e Léo. Como ele não escalou 11 jogadores na atividade de ontem, ainda resta a dúvida se pode colocar mais um defensor no esquema, mas a hipótese parece mais distante.

Mancini comandou o São Paulo até agora em quatro oportunidades: na derrota para o Corinthians, no empate com o Red Bull, na vitória sobre o Bragantino e no empate com a Ferroviária. Com exceção da primeira partida, no clássico, em todos os outros duelos ele entrou em campo com uma formação com três zagueiros.

“Vamos pensar com calma. O bom é que temos duas oportunidades e duas formas de jogar. A gente pode ser ofensivo usando laterais e pode ser também ofensivo usando alas. A invenção do 3-5-2 é para que o time seja mais ofensivo. Ainda não está decidido, ao longo da semana vamos decidir”, disse o treinador.

Na realidade, Mancini tem na equipe duas vagas, pois Gonzalo Carneiro também está suspenso (o São Paulo entrou com pedido de efeito suspensivo para liberar o atleta para enfrentar o Palmeiras). Então, os titulares seriam Tiago Volpi; Igor Vinicius, Arboleda, Anderson Martins e Léo; Luan, Hernanes e Antony; Pablo.

A tendência é que o treinador opte por dois jogadores ofensivos. Se não puder contar com Carneiro, ele pode arriscar dar a chance para dois jovens formados nas categorias de base de Cotia, Helinho, que já teve chance de ser titular com o próprio Mancini, e Brenner, que voltou de lesão e tem treinado muito bem no time. Isso se Carneiro não for liberado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.