Vágner pede desculpas por pênalti perdido

Vágner Love jamais vai esquecer da primeira partida oficial que disputou no Morumbi. Neste domingo, sentiu o gosto de ser herói e vilão ao mesmo tempo e, ao descer para o vestiário, recebeu um elogio inesperado do técnico Leão, que já manifestou interesse em contar com seu futebol na Vila Belmiro. No final, se desculpou pela perda do pênalti que poderia ter mudado completamente a história do jogo no primeiro tempo.Mas pediu aos jornalistas que valorizassem o gol que marcou, e que acabou por redimi-lo diante da torcida."Não estou abatido", justificou. "Por se tratar do primeiro clássico que disputei, acho que fui bem. Outros grandes jogos virão e o Palmeiras ainda dará muitas alegrias à torcida. Perdi chances, poderia ter feito mais gols. Mas ainda estamos no começo do campeonato e muita coisa vai acontecer." Na visão do atacante, a responsabilidade pelo empate não pode recair apenas sobre suas costas. Afinal, após um primeiro tempo em que soube jogar muito bem aproveitando-se dos erros do adversário, o Palmeiras recuou e deixou o Morumbi amargando o resultado de 2 a 2."Infelizmente, não jogamos da mesma maneira nos dois tempos. E isso nos custou a vitória. Mas pelo menos mostramos aos torcedores que não devemos nada a ninguém. Com mais confiança, certamente ainda daremos o que falar." A pressa para sair do vestiário e encontrar a irmã Vânia, que veio do Rio de Janeiro apenas para acompanhá-lo no clássico, não impediu Vágner de fazer uma autocrítica de sua atuação. Tranquilo, o atacante reconheceu que perdeu pelo menos duas grandes chances para liquidar a partida."Isso faz parte do futebol. Corri muito, me empenhei, mas nem sempre as coisas acontecem da maneira como esperamos. Não vou me abalar com a perda do pênalti, por exemplo, porque depois marquei um gol e ajudei a equipe o tempo todo. Mas é claro que poderíamos ter voltado com mais vontade no segundo tempo para segurar o resultado positivo parcial." O atacante terá nova chance para justificar a admiração de Émerson Leão na quarta-feira, quando o Palmeiras vai a Belém enfrentar a Tuna Luso, na estréia da Copa do Brasil. Mas voltoua deixar claro que, apesar do interesse do técnico santista em contar com seu futebol, não pensa em deixar o Parque Antártica tão cedo."O Leão é um grande treinador. Mas quero avisá-lo que estou muito bem aqui. Acabamos de conquistar uma Série B e tenho contrato com o Palmeiras até 2006. Vou cumpri-lo até o fim, a não ser que algo muito interessante apareça para todo mundo."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.