Philippe Huguen/AFP - 8/6/2014
Philippe Huguen/AFP - 8/6/2014

Valbuena desabafa após chantagem de Benzema: 'Nem com meu inimigo'

Jogador se disse 'decepcionado' com companheiro de seleção

Estadão Conteúdo

27 de novembro de 2015 | 12h41

O meia Mathieu Valbuena se manifestou publicamente pela primeira vez nesta sexta-feira sobre o polêmico caso de chantagem que tem como pivô o atacante Karim Benzema, seu companheiro de seleção francesa. O jogador do Lyon se disse "decepcionado" e afirmou que não faria o que Benzema fez nem ao seu "pior inimigo".

"Eu só posso estar muito, muito decepcionado. Descobri que minha relação com Karim não era tão sincera quanto eu imaginava", disse Valbuena em entrevista ao jornal francês Le Monde.

O caso que gerou turbulência dentro da seleção francesa começou com um problema pessoal de Valbuena, que era chantageado por terceiros que tinham posse de vídeo íntimo com imagens do jogador e da namorada. O caso ganhou repercussão quando Benzema foi citado, por intermediar a negociação de Valbuena com um dos que detinham o vídeo.

O atacante do Real Madrid, que se tornou réu no processo judicial, admitiu ter participado da negociação, mas de forma "inconsciente". Benzema alega que um dos criminosos era seu amigo de infância e pedira sua ajuda para convencer Valbuena e fazer o devido pagamento para evitar a divulgação do vídeo.

Em entrevista ao Le Monde, o meia do Lyon confirma a participação de Benzema no caso, mas destaca que não houve coerção ou pressão. "Na forma como ele me apresentou a situação, era para me convencer a me reunir com alguém. Indiretamente, isso queria dizer que eu deveria pagar a alguém para destruir o vídeo", revelou Valbuena, indignado com a postura do colega de seleção.

"Suas palavras mostravam uma grande falta de respeito. Eu respeito todo mundo, mas neste caso tive a sensação de que ele estava me tratando como se fosse burro. Não posso defender o indefensável", criticou o meia do Lyon.

Benzema se tornou réu do caso por decisão da juíza de instrução de Versailles, Nathalie Boutard. Ela alega que, entre outras provas, os vínculos entre as partes teriam sido estabelecidos por seis conversas telefônicas interceptadas e gravadas pela polícia entre junho, quando do início do caso, e outubro, quando a informação veio à tona.

A mesma quadrilha teria sido responsável por outro caso de chantagem, desta vez contra o ex-atacante da seleção francesa Djibril Cissé, que em 2008 teria pago 100 mil euros para se livrar da extorsão. Mas em outubro passado o próprio Cissé foi detido pela polícia para averiguações sobre o caso envolvendo Valbuena.

O advogado de Benzema, Sylvain Cormier, continua a negar a responsabilidade de seu cliente, afirmando que ele "não participou da operação de chantagem" e que, aos olhos da Justiça, continua inocente até que se prove o contrário.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.