Divulgação/Twitter
Divulgação/Twitter

Valcke critica Arena das Dunas em rede social: 'Muito ainda a fazer'

Secretário-geral da Fifa pediu comprometimento de todos para que o estádio esteja pronto no dia 13 de junho

AE, Agência Estado

28 de maio de 2014 | 17h05

NATAL - O secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, criticou nesta quarta-feira, pelo Twitter, o estádio potiguar para a Copa do Mundo. A duas semanas do início do Mundial, o dirigente está em Natal para visitar a Arena das Dunas e encontrou, ali, um estádio ainda inacabado por dentro.

"Acabamos de visitar a Arena das Dunas. Temos uma corrida contra o relógio, muito ainda a fazer para fãs e mídia. Precisamos de comprometimento total de todos envolvidos aqui em Natal para garantir que tudo estará pronto para 13 de junho", postou Valcke.

O texto veio acompanhado de três imagens internas do estádio, como ele tem feito com todas as arenas às quais tem visitado nos últimos dias. Uma das fotografias, porém, mostra apenas um setor do estádio que ainda está em obras, com a colocação da cadeiras.

A Arena das Dunas foi inaugurada em 22 de janeiro, em cerimônia que contou com a presença da presidente Dilma Rousseff e do próprio Valcke. Com investimento de R$ 400 milhões, sendo R$ 396,5 milhões de financiamento federal, o estádio foi construído na área onde ficava o antigo Machadão, principal praça esportiva de Natal, que tinha sido erguido em 1972 e foi demolido para ser substituído pelo novo estádio. Ao todo, foram 29 meses de obras.

Ao todo, a Arena das Dunas tem capacidade para acomodar 42 mil torcedores, sendo que 10,6 mil assentos são removíveis. Na Copa do Mundo, o estádio em Natal será palco de quatro partidas, todas válidas pela primeira fase: México x Camarões (em 13 de junho), Gana x Estados Unidos (em 16 de junho), Japão x Grécia (em 19 de junho) e Itália x Uruguai (em 24 de junho).

ELOGIOS

As críticas à Arena das Dunas se diferenciam da postura de Valcke neste tour final pelas sedes da Copa. No Brasil há oito dias, ele elogiou o "progresso" da Arena Pantanal desde sua última visita, viu também "grande progresso" na Arena da Baixada, disse que o Mineirão é uma "arena bem testada" e que o Mané Garrincha é um "exemplo positivo do legado da Copa". Maracanã e Arena da Amazônia também foram elogiados.

Até agora, só a Fonte Nova e a Arena Pernambuco não foram visitadas. Ponderações, até agora, além da Arena das Dunas, só sobre o Itaquerão - "Para nós é vital que todas as instalações sejam testadas em condições totais de jogo: assentos temporários e instalações adjacentes" - e com relação ao Beira-Rio: "Segue o trabalho para entrega das estruturas complementares no Beira-Rio. Mas ainda há muito a fazer em Porto Alegre. Não podemos perder um minuto ou a qualidade para fãs e equipes de TV será comprometida."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.