Cesar Greco/Divulgação
Cesar Greco/Divulgação

Valdivia admite chance de voltar a defender a seleção chilena

Meia explica que transação frustrada com time dos Emirados Árabes o faz rever a ideia de não jogar mais por seu país

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

17 de outubro de 2014 | 07h05

Logo após a Copa do Mundo, o meia Valdivia avisou que não iria mais atuar pela seleção chilena. Entretanto, o meia do Palmeiras parece ter mudado de ideia e, pela primeira vez, admite a possibilidade de continuar defendo o time nacional. Segundo ele, o fato de não ter se transferido para os Emirados Árabes é o motivo da mudança de opinião.

"Depois da Copa teve todo aquele negócio me envolvendo com o time dos Emirados. Lá, eu sabia que o nível não iria ser o suficiente para continuar na seleção. É sabido por todos o quanto você treina na seleção do Chile, a intensidade e o ritmo. Infelizmente, lá nos Emirados eu não iria ter essa intensidade e isso atrapalharia muito na seleção", explicou o jogador, que negociou com o Al Fujairah.

Como permaneceu no Palmeiras, o Mago acredita que a cada dia tem mais confiança e por isso pode mudar de ideia. "Agora vivo uma etapa diferente. Fisicamente, sinto-me muito bem. As partidas que tenho feito me dão muita confiança para continuar melhorando. As partidas aqui me dão essa confiança de chegar no treinador e dizer que estou bem fisicamente e que posso me reintegrar no projeto de Copa América. Se tiver de pedir desculpa aos meus companheiros e dizer que estou esperançoso de voltar para seleção, vou fazer isso", avisou.

Depois da Copa do Mundo, Valdivia chegou a viajar para os Emirados, fez exames, acertou verbalmente com o clube, mas na hora de assinar o contrato, os árabes desistiram do acordo. O chileno e o Palmeiras asseguraram que iriam entrar com processo contra o clube árabe.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.