Célio Messias/Divulgação
Célio Messias/Divulgação

Valdivia brilha em retorno e Palmeiras goleia o Oeste por 4 a 0

Resultado leva o Palmeiras aos 15 pontos, recuperando a terceira colocação da Série B

GABRIEL MELLONI, Agência Estado

06 de julho de 2013 | 18h25

PRESIDENTE PRUDENTE - Valdivia mostrou neste sábado porquê sua volta aos gramados era tão esperada. Recuperado de contusão, que o deixava afastado desde março, o meia foi o comandante da vitória do Palmeiras sobre o Oeste, em Presidente Prudente. Ele não marcou nenhum, mas criou as jogadas de três dos quatro gols palmeirenses na goleada por 4 a 0 sobre o time de Itápolis, pela sétima rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Depois de exibir um repertório de dribles e grandes jogadas, o chileno teve seu nome gritado pela torcida, que tanto o cobrou pelo longo período longe do campo.

O resultado levou o Palmeiras aos 15 pontos, recuperando a terceira colocação, mesmo número do vice Joinville e quatro atrás do líder Chapecoense. Na próxima rodada, o time paulista terá pela frente o lanterna ABC, sexta-feira, às 21 horas, no retorno ao Pacaembu. Já o Oeste, 14.º lugar, tentará a recuperação na terça, quando pega o Boa, em Itápolis, às 21 horas.

Valdivia vinha desfalcando o Palmeiras desde o dia 14 de março, 114 dias atrás, por conta de uma lesão na coxa direita e, posteriormente, um corte no pé. Se não marcou, o chileno foi o principal nome da vitória deste sábado e deixou o campo, para a estreia de Mendieta, aplaudido. Leandro foi outro destaque com os dois primeiros gols, enquanto Charles marcou os dois últimos e selou a goleada.

O JOGO

O Palmeiras começou melhor, dominando a posse, mas só conseguiu seu primeiro bom momento em um contra-ataque, quando Juninho arrancou e tocou para Vinícius. A bola ficou muito longa e Fernando Leal chegou bem para travar a batida. Não demoraria para que Leandro marcasse o primeiro. Aos seis minutos, Valdivia tabelou e tocou para Luís Felipe, que cruzou. A zaga travou, mas o atacante palmeirense aproveitou a sobra para fuzilar, de bico.

O gol fez o Oeste ir para cima e a equipe quase empatou aos 13 minutos. Após escanteio da esquerda, a bola passou por toda a área e bateu em Dezinho. O próprio zagueiro tentou dividir com Fernando Prass, que afastou. Aos 25, Fernandes fez boa jogada pela esquerda e, mesmo cercado, conseguiu o cruzamento para Fábio Santos, que cabeceou para fora.

Apesar do bom momento do Oeste, o Palmeiras era perigoso nos contra-ataques, comandados por Valdivia, que não exibia falta de ritmo mesmo com o longo período afastado. A equipe de Gilson Kleina, no entanto, deixava muito espaço nas costas de seus laterais e foi justamente em falha de marcação de Juninho que Wanderson teve boa chance, aos 30 minutos, quando foi lançado e bateu de primeira para fora.

Mas a grande chance do Oeste no primeiro tempo aconteceu aos 36 minutos. Everton Dias deu lindo lançamento para Fernandes, que, novamente nas costas da defesa pelo lado direito, invadiu a área e tocou por cima de Fernando Prass. A bola tocou no travessão.

O velho ditado futebolístico de que "quem não faz, toma" ficou justificado logo na sequência. Aos 37 minutos, Valdivia fez boa jogada e tocou para Vinícius. Ele cruzou de primeira, rasteiro, a bola chegou até Leandro, que desviou por baixo de Fernando Leal para marcar o segundo.

Antes do intervalo, Valdivia ainda teve boa oportunidade, em cobrança de falta na entrada da área, e Vinícius quase ampliou, exigindo boa defesa de Fernando Leal. O Oeste voltou para o segundo tempo com alterações, para deixar o time mais ofensivo, mas foi o Palmeiras que chegou primeiro, em chute perigoso de Luís Felipe.

As mudanças do técnico Roberto Cavalo não surtiram efeito e, ao invés de pressionar em busca do empate, o Oeste via o Palmeiras mais consistente que no primeiro tempo, cometendo menos erros e se mantendo como dono da partida. Valdivia quase deixou sua marca, após confusão dentro da área, e o time mandante comandava a partida com tranquilidade.

Aos 18 minutos, Charles aproveitou sobra de escanteio, invadiu a área pela direita e encheu o pé. O terceiro gol só não saiu porque Fernando Leal fez grande defesa. Mas o volante marcaria aos 21. Valdivia dominou na intermediária e deu enfiada de bola perfeita, milimétrica, para Leandro, que só rolou para Charles, sem goleiro, tocar para o gol vazio.

Pouco depois, Valdivia perdeu a chance de fazer o seu ao dividir com o goleiro Fernando Leal, mas sua atuação já havia sido suficiente para que deixasse o campo aplaudido pela torcida. Sem o chileno, o ritmo diminuiu, mas deu tempo para que Charles marcasse mais um. Após sobra de escanteio, o volante bateu de primeira, de longe, para marcar um belo gol e fechar o placar.

FICHA TÉCNICA

PALMEIRAS 4 X 0 OESTE

PALMEIRAS - Fernando Prass; Luís Felipe, André Luiz, Henrique e Juninho; Márcio Araújo, Charles, Wesley e Valdivia (Mendieta); Leandro (Serginho) e Vinícius (Caio). Técnico: Gilson Kleina.

OESTE - Fernando Leal; Dedê, Dezinho (Eli) e Ligger; Adriano Alves, Everton Dias, Wanderson (Lelê), Fernandes e Piauí; Fábio Santos e Bruno Sabino (Memo). Técnico: Roberto Cavalo.

GOLS - Leandro, aos seis e aos 37 minutos do primeiro tempo. Charles, aos 21 e aos 37 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Antônio Rogério Batista do Prado (SP).

CARTÕES AMARELOS - Piauí, Everton Dias (Oeste).

RENDA - não disponível.

PÚBLICO - 7.543 pagantes.

LOCAL - Estádio Prudentão, em Presidente Prudente (SP).

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSérie BPalmeirasOeste

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.