José Patrício/Estadão
José Patrício/Estadão

Valdivia comanda o Palmeiras em Ribeirão

Contra o Botafogo, meia será o articulador do time, que defende a invencibilidade

Daniel Batista, O Estado de S. Paulo

23 de fevereiro de 2014 | 05h00

SÃO PAULO - Com um time cansado e cheio de desfalques por problemas musculares, o técnico Gilson Kleina recorre a um velho conhecido para manter a invencibilidade no Paulistão diante do Botafogo hoje à noite em Ribeirão Preto. Valdivia está confirmado para o jogo e não faltam motivos para ele comandar a equipe.

O meia foi poupado contra o Ituano para estar 100% hoje e terá a função de organizar o time. E o técnico do Chile, Jorge Sampaoli, estará de olho nele, que foi convocado para o amistoso contra a Alemanha dia 5 de março.

Defender a seleção chilena na Copa é a grande obsessão de Valdivia no primeiro semestre, por isso sempre que chegam boas notícias para ele vindas de seu país a motivação aumenta.

Além disso, Valdivia não perde um jogo há quase um ano. Sua última derrota foi no dia 6 de março de 2013, quando o Tigre fez 1 a 0 pela Libertadores. De lá para cá foram 25 jogos, com 16 vitórias e nove empates. Sua última partida foi contra o Corinthians, e não foi bem.

"Não jogo sozinho. Então se tem essa marca é mérito dos jogadores que evitaram a derrota. Não me preocupo com isso", garantiu.

Kleina não pode contar com cinco jogadores, sendo Alan Kardec o único suspenso. Juninho e Wesley serão poupados por causa de dores musculares e Wellington e Diogo sentem dores na coxa. Sem contar Victorino e Thiago Martins, que estão machucados e ainda não estrearam.

MUDANÇAS

Kleina não quis dar pistas de quem joga, mas a dúvida maior é em relação ao ataque. Na lateral-esquerda, William Matheus tem mais uma oportunidade de agradar e conquistar a vaga que pertence a Juninho. Na zaga, Marcelo Oliveira deve continuar ao lado de Lúcio. França e Josimar permanecem no time.

No ataque, Leandro retornaria de suspensão, mas sofreu um corte na perna e está fora do jogo. Vinícius deve atuar no ataque, como uma espécie de clone de Kardec, e Marquinhos Gabriel pode ser o meia”.

Mas Kleina já deu indícios de que pensa em fazer testes com Marquinhos Gabriel. Assim, mudaria a formação para o 4-5-1, com Valdivia chegando ao ataque e Marquinhos Gabriel e Mazinho ficando na armação. Certo mesmo é que Bruno César entrará no segundo tempo, porque só tem fôlego para suportar 45 minutos. No Botafogo, o técnico Wagner Lopes não poderá contar com o zagueiro César Gaúcho, suspenso.

A diretoria fez promoção para encher o estádio Santa Cruz – 25 mil ingressos foram colocados à venda.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.