Daniel Teixeira/Estadão
Daniel Teixeira/Estadão

Valdivia declara torcida para Paulo Nobre em eleição no Palmeiras

Meia torce para presidente renovar mandato no pleito que será disputado em novembro contra Wlademir Pescarmona, da oposição

Daniel Batista, O Estado de S. Paulo

16 de outubro de 2014 | 16h15

O meia Valdivia concedeu entrevista nesta quinta-feira na Academia e, como já era de se esperar, criou polêmica. O chileno do Palmeiras deixou claro que sua torcida na eleição presidencial do clube, que será realizada dia 29 de novembro, é para o atual presidente Paulo Nobre. Wlademir Pescarmona, candidato da oposição, é seu desafeto declarado.

"Se for o Paulo Nobre, tem de fazer o máximo possível para levar ainda mais o Palmeiras a um status de antigamente. Não pode pensar em apequenar. Já vou além do que foi passado por mim, pelo meu assessor. Eu torço para que o Paulo Nobre ganhe", assegurou o meia. Apesar do apoio declarado ao mandatário, o meia espera que, independentemente do vencedor do pleito, o eleito pense no Palmeiras em primeiro lugar.

"Pensando um pouco no que vai ser a eleição da presidência, quem for escolhido, tem de fazer o melhor para o clube. Falando hipoteticamente, se ele for presidente não tem porque ele ter algo contra mim e eu contra ele. Mais importante é a história do clube e devolver ao Palmeiras alegrias antigas. Eu me sinto muito bem aqui e torço pelo êxito do clube, seja quem for o presidente", analisou.

Pescarmona, quando foi diretor de futebol entre 2011 e 2012, chegou a dizer que Valdivia era um jogador de Série B com salário de Série A e, nas férias dos atletas, deu uma cartilha de bom comportamento para o meio-campista seguir. Irritado, o chileno criticou o dirigente e, desde então, eles trocaram farpas sempre que o nome do outro era lembrado.

Nobre e Pescarmona se enfrentarão nas urnas na primeira eleição em que os sócios do Palmeiras poderão votar. Enquanto isso, Valdivia será julgado novamente pela expulsão na partida contra o Flamengo, na próxima quarta-feira. Ele foi suspenso por dois jogos, mas tem atuado com o efeito suspensivo. Caso seja punido, não enfrenta o Corinthians no domingo da semana que vem.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasValdiviaPaulo Nobre

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.