Valdivia diz 'pagar' pelo passado, mas afirma que mudou

Sem proposta de outros clubes, meio-campista chileno é reintegrado ao elenco e fica à disposição do técnico Ricardo Gareca

Daniel Batista, O Estado de S. Paulo

07 de agosto de 2014 | 16h34

Valdivia fez um longo desabafo nesta quinta-feira, durante entrevista coletiva para explicar os motivos de não ter dado certo o acordo com o Al Fujairah, dos Emirados Árabes. O meia admitiu que paga pelos erros do passado e que, por isso, tudo que acontece com ele ganha uma repercussão maior. Entretanto, ele garante que mudou.

"Claro que tenho culpa (pela repercussão maior), mas se for para viver sentindo culpa, é melhor ficar em casa, dormindo. É tipo quando o cara é alcoólatra: quando ele quer se recuperar, tem direito a buscar uma vida melhor. Venho há tempos passando essa mensagem, que eu mudei e não sou a mesma pessoa que era antes", disse o chileno, que por diversas vezes pediu para que a torcida acredite em suas palavras.

O jogador acredita que é perseguido por parte da imprensa e torcida. "Meu nome é sempre o primeiro que aparece. Toda vez que acontece alguma coisa, meu nome é sempre o primeiro culpado. Falaram que eu traí o Al Fujairah, porque recebi proposta melhor de outro clube, disseram que briguei com o Medel na seleção do Chile, entre outras coisas. E nada disso é verdade", reclamou.

"Eu não posso ser julgado pelo que fiz no passado. Isso eu já paguei. Fui punido, criticado, mas tenho o direito de querer melhorar, porque se for para viver de culpa, é melhor não ter vida", completou. Sem proposta de outros clubes, Valdivia foi reintegrado e fica à disposição do técnico Ricardo Gareca. Seu contrato com o Palmeiras vai até agosto do ano que vem.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolPalmeirasValdivia

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.