Evelson de Freitas/Estadão
Evelson de Freitas/Estadão

Valdivia diz que não joga mais por opção do treinador

Meia já disputou 24 partidas pelo Palmeiras em 2013, mas só completou os 90 minutos em oito delas

Daniel Batista, Agência Estado

31 de outubro de 2013 | 17h45

SÃO PAULO - Depois de enfrentar seguidas contusões nos últimos anos, Valdivia vem fazendo uma preparação especial nesta temporada, para poder se livrar dos problemas físicos. Ao longo do ano, ele já disputou 24 partidas pelo Palmeiras, mas só completou os 90 minutos em oito delas. Segundo o meia chileno, esse número só não é maior por opção do técnico Gilson Kleina.

"Eu quero jogar 90 minutos, sim. Se eu posso, sim. Mas tenho um comandante que escolhe a melhor opção e diz se eu devo jogar ou não. Fisicamente estou bem, sim", explicou Valdivia, que, mesmo sem conseguir jogar sempre, foi o principal destaque da campanha que deu o acesso antecipado ao Palmeiras na Série B do Campeonato Brasileiro.

Para Valdivia, o segredo para evitar os seguidos problemas do passado e ter uma participação mais efetiva na atual temporada foi o tempo maior de recuperação que ele teve quando sofreu lesão. "A grande diferença que tive nesse ano foi que tive o tempo necessário para recuperar e voltar bem. Isso fez a diferença. Toda vez que machucava, eu voltava dez dias antes da data e acelerava os processos. O risco é grande de ter incômodo. Neste ano, todas as vezes que machuquei tive tempo necessário. O Gilson Kleina fez também que esse tempo fosse respeitado", contou o chileno.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.