Divulgação
Divulgação

Valdivia fica com tornozelo inchado e Kleina elogia o chileno no Palmeiras

Técnico ressalta a disposição do jogador, principalmente por ele não ter caído na provocação rival

Daniel Batista, O Estado de S. Paulo

28 de março de 2014 | 10h39

SÃO PAULO - Valdivia deixou o gramado do Pacaembu marcado pelos jogadores do Bragantino e por alguns hematomas. O meia do Palmeiras sofreu com as pancadas que levou dos adversários na vitória por 2 a 0 nesta quinta-feira. Algumas delas provocadas por disputas normais de bola, outras por irritação aos toques 'enjoados' dos jogador no meio de campo. Por meio de sua assessoria de imprensa, Valdivia divulgou uma foto em que mostra o estado de seu tornozelo - uma bola de inchado. O técnico Gilson Kleina foi só elogios à disposição do jogador e por ele não ter caído na provocação dos adversários durante a partida que deu a classificação ao Palmeiras.

"Conversamos com o Valdivia para ele não entrar em confusão. O Valdivia é corajoso e não foge do pau. Naquele momento da provocação e pegas mais ríspidos, poderia acontecer de o árbitro expulsar os dois jogador, mas conseguimos controlar a situação", disse o treinador, referindo-se ao lance no segundo tempo em que Geandro e o chileno se estranharam. Foi quando Valdivia caiu no gramado, reclamando que foi agredido.

Embora tenha percebido que o meia chileno era o alvo preferido dos parrudos marcadores adversários, Kleina decidiu mantê-lo em campo. "Sabíamos que ele teria uma marcação individual, tanto que saiu com o tornozelo inchado. Mas não pensei em tirá-lo, pois sabia também o quanto o Valdivia era importante."

Quem não ficou nada satisfeito com a postura do jogador do Palmeiras foi o time inteiro do Bragantino. Francesco, por exemplo, disse que os árbitros têm medo do jogador chileno. "Ele xinga a arbitragem, os auxiliares e ninguém tem peito para expulsá-lo. A Federação Paulista tinha de ver isso. O Valdivia manda o árbitro para aquele lugar o tempo todo e entra no jogo já dando cotovelada. Se a gente faz isso, é expulso. Quero ver quem tem pulso de expulsá-lo", reclamou o jogador do Bragantino.

Os marcadores do Bragantino também ficaram irritados porque Valdivia abusou de sua categoria no meio de campo, com toques rápídos e refinados, alguns cheios de graça. A preocupação agora no Palmeiras é pela recuperação do jogador a tempo de se colocar em pé para enfrentar o Ituano na semifinal do Paulistão. A expectativa é que o tornozelo volte ao normal em um dia e ele tenha condições de enfrentar o rival de Itu domingo, às 18h30, no Pacaembu.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.