Martin Bernetti/AFP
Martin Bernetti/AFP

Valdivia nega estar em cassino com Vidal antes de acidente no Chile

Jogador postou uma foto com sua mulher em um restaurante

ALMIR LEITE E GONÇALO JUNIOR, enviados especiais a Santiago, O Estado de S. Paulo

17 de junho de 2015 | 11h56

O meia Valdivia usou as redes sociais para desmentir os rumores de que estaria no cassino com o companheiro Arturo Vidal, que foi detido na noite desta terça-feira após se envolver em um acidente de trânsito sob efeito de álcool, de acordo com a polícia. O jogador do Palmeiras postou uma foto com sua mulher em um restaurante. "Aos que disseram que me viram no cassino, vão informar-se. Estava com minha família e fomos entrevistados por um programa. Por favor, não passem informações falsas", escreveu.

O principal jogador da seleção chilena bateu sua Ferrari numa estrada nas proximidades da capital chilena, quando voltava para a concentração da sua equipe. Ele teria passado o dia de folga num cassino a 120 quilômetros da capital. O acidente aconteceu no quilômetro 25 do acesso sul a Santiago. Vidal sofreu ferimentos leves, assim como a motorista do outro veículo. A mulher do jogador, Maria Teresa Matus, teria sofrido fratura no braço.

Existe pressão do dirigentes da Federação Chilena de Futebol para que Vidal seja cortado por causa do acidente. Por outro lado, o técnico Jorge Sampaoli também está sendo criticado por ter dado folga aos jogadores durante a disputa da Copa América. A torcida, porém, defende a manutenção do jogador no elenco. A decisão deverá ser anunciada no início desta tarde.

Vidal passou pelo teste de bafômetro, que constatou quantidade de álcool no sangue acima do permitido pelas leis chilenas, de 0,8 microgramas por litro. No entanto, há divergência entre os próprios policiais, sobre a quantidade exata apontada pelo exame. Ele foi inicialmente levado a um hospital e depois à delegacia da cidade de Bruin, onde passou a noite. Pela rede social Twitter, o jogador disse que não teve culpa no acidente, que não se machucou a agradeceu a preocupação do público.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.