Valdivia pede desculpas e admite 'cabeça na Europa'

Chileno irritou Luxemburgo ao ir direto para o vestiário, ao ser substituído na vitória contra o Flamengo

Juliano Costa, do Jornal da Tarde,

31 de julho de 2008 | 13h37

O meia Valdivia, do Palmeiras, pediu desculpas a Vanderlei Luxemburgo, na manhã desta quinta-feira, pelo chilique que deu ao sair de campo na partida contra o Flamengo, na noite anterior, no Palestra Itália. O chileno irritou o treinador ao ir direto para o vestiário, de birra, em vez de rumar para o banco de reservas, ao ser substituído por Maicosuel. Veja também: Luxa dispara: 'Se o Valdivia está bravo, que saia'    Bate-Pronto: Acabaram as magias de Valdivia?   Palmeiras terá time misto na Copa Sul-Americana   Para Vanderlei Luxemburgo, o bom é ficar 'no bolo' Luxemburgo diz que Brasileirão está sem favorito  "Eu estava de cabeça quente, chateado com várias coisas, mas nada a ver com o Vanderlei. Queria fazer gol e estava chateado com a arbitragem. Mas não sou tonto de brigar com o Vanderlei. Chegando em casa, percebi que ele estava certo em me tirar, pois eu já tinha cartão amarelo e não estava jogando bem." O chileno não quis dizer o que afligia durante a partida. "Prefiro não falar." Em seguida, surpreendentemente, admitiu que vem jogando mal e que sua cabeça estava, sim, na Europa. "As especulações sobre uma transferência mexeram comigo. Toda hora a imprensa especula sobre Alemanha, Catar, Espanha. Meus amigos vinham me perguntar sobre isso. E eu entrava em campo preocupado com outras coisas. Espero que eu esqueça os boatos de que estou vendido e volte a jogar bem", revelou. Valdivia jogou a responsabilidade de uma possível transferência para a diretoria. "O Palmeiras está precisando de dinheiro, precisa vender jogador. Se vier uma proposta boa por mim, eles vão querer me vender. É uma decisão que cabe 70% ao clube e 30% a mim." Ele lembrou que ainda tem três anos de contrato. "Não posso garantir hoje que vou ficar porque semana que vem pode aparecer uma proposta e aí o meu discurso vai mudar." O meia garantiu que vai procurar Luxemburgo para uma conversa em particular. "Não sou mau caráter. Sou uma boa pessoa. Sei reconhecer quando erro. E espero que não seja dura a punição do Vanderlei. Tenho certeza que não será a última bronca que vou levar." As declarações de Valdivia foram num evento de lançamento de sua nova chuteira, feita por uma empresa brasileira, a Dalponte. Questionado se continuará usando o calçado no exterior, Valdivia sorriu. "Meu contrato é de 18 meses e prevê que eu use a chuteira em qualquer lugar." 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.