Werther Santana/AE 23/2/2011
Werther Santana/AE 23/2/2011

Valdivia pode deixar Palmeiras e fechar nesta quarta com time do Catar

Meia chileno se interessa pela proposta e deve se transferir para o Al Sadd

Daniel Batista, estadão.com.br

06 de setembro de 2011 | 23h24

SÃO PAULO - O presidente do PalmeirasArnaldo Tirone, tem falado que não quer vender Valdivia para o Al Sadd, do Catar, porque sabe que se fizer isso a pressão sobre ele vai aumentar. Mas segundo apurou o JT terça-feira, o chileno pode ser anunciado nesta quarta pelo clube do Oriente Médio. A situação mudou radicalmente em menos de 24 horas.

A novidade é que o jogador, ao ouvir os valores da negociação, se interessou e pediu para que a diretoria palmeirense olhasse com bons olhos a possibilidade da transação. Ou seja, que aceitasse a proposta e o deixasse partir para o Catar. O empresário João Celso Moraes, direto do Catar, é um dos intermediários que negociam a venda do chileno.

Tirone resolveu ceder e fazer a vontade de Valdivia e da maioria dos conselheiros e dirigentes do Palmeiras, que entendem ser um negócio ‘menos ruim’ vendê-lo agora do que ficar com ele até o fim do ano. Por isso, Tirone o liberou para conversar com um representante do Al Sadd. Na noite de terça-feira esse intermediário se reuniu com Valdivia para falar sobre detalhes do contrato e caminhar para uma batida de martelo no negócio.

EMPRESÁRIO DÁ SINAL VERDE

O empresário Osório Furlan, dono de 36% dos direitos econômicos de Valdivia no Palmeiras, também deu carta branca para fechar o negócio. "Ontem à noite (segunda-feira), jantei com o presidente Tirone e disse que, por mim, teríamos de vendê-lo agora. É uma boa proposta e por isso dei sinal verde para a sua realização", disse o empresário ao JT.

Na tarde de terça-feira, o presidente do Palmeiras desconversou sobre o assunto. "Não falei nada sobre o Valdivia com o Osório. Não queremos liberar o jogador porque estamos no meio do Brasileiro."

O Al Sadd ofereceu 8,25 milhões de euros (R$ 15,1 milhões) pelo jogador. O Palmeiras ficaria com 5,5 milhões de euros (R$ 12,9 milhões) e o restante iria para o Al Ain, dos Emirados Árabes.

A transação pode emperrar caso Valdivia exija algo além do que lhe foi prometido. O meia se recupera de um estiramento no músculo posterior da coxa direita, lesão sofrida quando defendia o Chile em amistoso contra a Espanha. (colaborou Marcius Azevedo)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.