JF Diório/AE
JF Diório/AE

Valdivia segura choro após partida e dedica gol à família

Chileno supera sequestro relâmpago sofrido há duas semanas e comemora classificação à final

estadão.com.br,

21 de junho de 2012 | 23h41

BARUERI - Valdivia era todo emoção depois do apito final do árbitro e da classificação do Palmeiras à final da Copa do Brasil. O chileno, autor do gol de empate no 1 a 1 contra o Grêmio, na Arena Barueri, segurou o choro ao se aproximar dos repórteres na saída do gramado. A emoção tem razão: era o primeiro jogo dele depois do sequestro relâmpago sofrido há duas semanas.

"Estou emocionado. Depois de tudo que aconteceu, essa é uma prova de quem alguém lá em cima [olhando para o céu] gosta muito de mim. Só quero agradecer aos meus companheiros pela confiança", afirmou Valdivia, bastante emocionado. "Agora vou embora rápido daqui, senão vou chorar. Estou muito emocionado, esse gol é para minha família."

O chileno, que chegou a afirmar que desejava deixar a cidade de São Paulo (e consequentemente o Palmeiras) depois de passar pelo sequestro relâmpago, não participou do jogo de ida, em Porto Alegre, e só voltou ao time nesta quinta-feira. Ele entrou em campo no começo do segundo tempo, fez o gol e ainda acertou uma bola na trave. A felicidade era tanta que, na comemoração do gol, tirou a camisa (ignorando o frio e a chuva) e correu abraçar Felipão.

Outro abraço simbólico, este já depois do apito final, foi entre Bruno e Barcos. O atacante, que criticou o goleiro depois da falha deste no jogo do fim de semana, contra o Vasco, pelo Brasileirão, fez questão de atravessar o campo e apoiar o colega, que também foi mal no gol gremista. "Esse é o Palmeiras que todos queremos", disse o argentino, na saída do gramado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.