Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Tenha acesso ilimitado
por R$0,30/dia!
(no plano anual de R$ 99,90)
R$ 0,30/DIA ASSINAR
No plano anual de R$ 99,90

Valdson confessa: fiz pênalti

Os sorrisos de Valdson no final do clássico poderiam ser traduzidos como felicidade pelo empate corintiano. Afinal, o Corinthians vinha de uma grave crise e acabava de empatar com o São Paulo. Só que a felicidade estampada em seu rosto tinha a ver com o lance mais agudo da partida.Aos 35 minutos do primeiro tempo, Fábio Simplício reclamou histérico de um pênalti do zagueiro corintiano. E ele tinha razão.?Dar carrinho nunca foi o meu forte. Eu toquei nas pernas dele, mas o juiz Paulo César de Oliveira não marcou. Até brinquei gozando o Simplício quando vi que não foi marcado o pênalti. Melhor para nós do Corinthians?, confidenciava, feliz. A alegria do zagueiro se justificava também pela mudança tática feita pelo novo treinador. ?O Tite conseguiu armar um melhor esquema defensivo. Nós tivemos mais tranqüilidade na zaga. O time não se abriu nem depois de tomar o gol. Essa ansiedade estava nos atrapalhando. O Corinthians jogou com muito mais consciência. E mostrou que pode seguir um outro caminho?, disse Valdson.O zagueiro sabia que estava perdendo moral a cada derrota que o Corinthians sofria. E sabia que, se Oswaldo de Oliveira continuasse, deveria passar a ser reserva. A pressão dos dirigentes para que Valdson fosse afastado beirava o insuportável. A acusação era que ele era técnico demais para ser zagueiro. Só que o próprio atleta se recusa a atuar como volante.O problema ficou claro: estava faltando marcação no esquema do demitido Oswaldo de Oliveira. Mas muito amigo do ex-técnico, Valdson não reclamava. Neste domingo, pôde falar à vontade.?Com três zagueiros fixos e cinco jogadores no meio fica melhor para a nossa equipe. O time fica mais compacto. O empate com o São Paulo mostrou a evolução da nossa postura em campo. E ainda irá melhorar porque ficaremos 15 dias apenas treinando. Isso é tudo que precisamos. Mas estamos saindo do Morumbi muito mais confiantes.?Se não fosse a suspensão de Ânderson pelo terceiro cartão amarelo, Tite iria definir o trio de zagueiros formados apenas por atletas da posição: Valdson, Betão e Ânderson. O volante Wendell não estava bem na zaga. Só melhorou quando retornou à sua posição. A esperança do treinador é Marquinhos, que está recuperado da operação no nariz.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.