Valencia confirma interno após demitir seu 5º técnico em três anos

O Valencia é um clube espanhol, mas, com relação à manutenção de técnicos, parece ser brasileiro. A diretoria valenciana decidiu demitir o treinador português Nuno Espírito Santo após a derrota por 1 a 0 para o Sevilla, domingo, pela Campeonato Espanhol. O ex-jogador espanhol Voro assume interinamente.

Estadão Conteúdo

30 de novembro de 2015 | 16h26

Quando contratar um substituto efetivo, o Valencia irá conhecer seu sexto técnico em três anos. O clube manteve Unai Emery por quatro temporadas, mas o demitiu em 2012. Depois disso, ainda passaram pelo Mestalla o argentino Mauricio Pellegrino, o espanhol Ernesto Valverde, o sérvio Miroslav Djukic e o argentino Juan Antonio Pizzi.

Nuno Espírito Santo estava no comando do Valencia desde o início da temporada passada, tendo ficado um ano e meio no cargo. O treinador português tinha contrato até 2018, mas foi dispensado após a 13.ª rodada do Espanhol, com o time em nono lugar, com 19 pontos de 39 possíveis.

Nesta segunda, a diretoria informou que Salvador González, o Voro, ex-jogador da seleção espanhola de 52 anos, vai assumir interinamente. Havia a expectativa de que o cargo ficasse com Phil Neville, ex-zagueiro da Inglaterra, que se aposentou há apenas dois anos e trabalha como auxiliar no Valencia.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolValenciaCampeonato Espanhol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.