Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Valentim adia para o fim do Brasileiro definição sobre o futuro

Atual técnico do Palmeiras manterá suspense sobre se deixa a equipe ou aceita a proposta voltar a ser auxiliar

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

22 Novembro 2017 | 11h00

O atual técnico do Palmeiras, Alberto Valentim, só deve se pronunciar em dezembro sobre qual será o seu destino no próximo ano. Após ouvir do diretor de futebol do clube, Alexandre Mattos, que não seguirá no cargo, Valentim poderá escolher entre aceitar a proposta para voltar a ser auxiliar técnico ou tentar retomar a carreira de treinador em outra equipe, como já fez no ano passado.

+ Alvo do Palmeiras, Abel Braga quase treinou o clube em 2009

+ Palmeiras vai jogar finais de sub-11 e sub-15 na arena

O desejo de Valentim era de prosseguir no comando do clube, objetivo repetido em diversas ocasiões. No fim de 2016, quando o técnico Cuca deixou o Palmeiras, o então auxiliar técnico preferiu se desligar do Palmeiras ao ser informado pela diretoria sobre a busca de um substituto. Eduardo Baptista veio para assumir o time e Valentim, então, assumiu o Red Bull para a disputa do Campeonato Paulista.

Após a passagem no time do interior, Valentim passou um mês na Itália, onde acompanhou treinos na Roma e na Udinese. Foi a terceira viagem dele por motivo de estudos ao país onde atuou quase uma década como lateral-direito. Um possível período maior como aluno foi interrompido porque em junho o Palmeiras lhe chamou para voltar como auxiliar técnico.

Nas duas rodadas faltantes do Campeonato Brasileiro, o atual treinador do Palmeiras promete tentar somente pensar nos jogos contra Botafogo e Atlético-PR e adiar para depois do último compromisso a definição sobre o futuro. A meta traçada por ele e apresentada ao elenco é de terminar como vice-campeão, o que garante uma premiação de R$ 11 milhões entregue pela CBF, ante R$ 7 milhões dados ao terceiro colocado.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.