Vitor Silva/SS Press
Vitor Silva/SS Press

Valentim aprova atuação do Botafogo e culpa arbitragem por derrota no clássico

Time da Estrela Solitária perdeu por 1 a 0 para o Flamengo neste sábado na Taça Rio

Estadão Conteúdo

04 Março 2018 | 10h18

A derrota por 1 a 0 para o Flamengo, sábado, no Engenhão, pela Taça Rio, não abalou o técnico do Botafogo, Alberto Valentim. Apesar do resultado, válido pelo segundo turno do Campeonato Carioca, ele elogiou a atuação dos seus comandados e disse que a arbitragem foi determinante para o placar.

Flamengo vence clássico quente e acaba com os 100% do Botafogo 

Confira a tabela da Taça Rio

Na avaliação do treinador, Rhodolfo estava impedido no lance do gol e o volante Jonas deveria ter sido expulso ainda no primeiro tempo. "Gostei muito do Botafogo, da forma que nós propomos o jogo. O time, mesmo em desvantagem com gol irregular, infelizmente, não perdeu equilíbrio, não se desorganizou, e essa é a ideia. Criamos chances boas. Mesmo com a derrota, estão de parabéns", comentou o técnico, antes de acrescentar.

"Quando saiu o gol (do Kieza, anulado), fui no quarto árbitro e falei: tomara que tenha acertado nos dois, porque onde estava não dava para ver. Depois teve esse lance capital (falta de Jonas para expulsão) no primeiro tempo, onde estaríamos com um a mais em muitos minutos do jogo. Foram erros, o árbitro errou. Não quero falar mais disso", pontuou.

Valentim também destacou a organização ofensiva e assegurou que o elenco do Botafogo vem assimilando os treinos da semana. "Quero uma equipe que tenha posse. Não quero terminar um jogo com posse enorme e finalizando pouco. Contra time fechado, quero posse, verticalizando. Hoje (sábado) finalizamos 15 vezes. Foi nosso melhor jogo, ainda mais pelo adversário, que valoriza ainda mais nossa atuação", disse. "Vejo o Botafogo repetindo coisas que faz nos treinos. Estou gostando muito."

O único fator que o time ainda precisa melhorar, segundo complementou o técnico, é a organização defensiva. "Uma solidez maior ainda na fase defensiva e que a gente crie mais oportunidades, faça mais gols", apontou. "Com o tempo, além dos treinamentos, os jogadores que não vinham jogando com frequência vão nos ajudar."

Mais conteúdo sobre:
futebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.