Vitor Silva / Botafogo
Vitor Silva / Botafogo

Valentim lamenta gols sofridos pelo Botafogo em início do jogo na Vila Belmiro

'É difícil começar o jogo dessa forma', diz o técnico, que cobra mais foco dos seus jogadores

Redação, Estadão Conteúdo

03 de novembro de 2019 | 22h37

A goleada sofrida por 4 a 1 para o Santos complicou ainda mais a vida do Botafogo no Campeonato Brasileiro. Com 33 pontos, está na 14º posição, apenas três pontos acima da zona de rebaixamento. Foi a terceira derrota consecutiva do time carioca, após tropeços diante de Grêmio e Cruzeiro.

Após a partida, os jogadores lamentaram o resultado e o vacilo apresentado no início do jogo, quando em menos de 15 minutos a equipe já tinha sofrido dois gols. "É difícil começar o jogo dessa forma, tomando dois gols logo no começo. O Santos é muito forte na Vila. Não adianta a gente dar discurso agora, temos de trabalhar. A culpa é de todos. Não tem muito o que falar. Tem de colocar a bunda no chão e trabalhar", afirmou o zagueiro Gabriel.

Na próxima rodada, o Botafogo encara o líder Flamengo, na quinta-feira, no Engenhão. Segundo o zagueiro, o time tem que reagir. "Vamos trabalhar muito. Temos o líder, é difícil, mas temos que reagir. O Brasileiro é assim mesmo, todo jogo é difícil. O Flamengo é o líder, mas vamos dificultar para eles e trabalharemos para fazer um bom jogo."

Para o técnico Alberto Valentin o descuido da equipe no começo do jogo foi fatal. "Tomamos o gol muito cedo. Tivemos chances, mas o Santos aproveitou bem a bola e os contra-ataques", declarou.

Na avaliação do treinador, o momento do time carioca é preocupante, mas ele fala em esquecer péssimo returno e pede que time foque nas últimas oito rodadas do Brasileiro. No returno, o Botafogo teve apenas duas vitórias e sofreu nove derrotas. "Será um campeonato à parte na reta final. Não podemos nos preocupar sobre como tem sido o segundo turno. Temos que pensar nas próximas oito partidas", afirmou.

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.