Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Valentim vê semana conturbada como aprendizado para sua carreira

Após derrota para o Corinthians, treinador enfrentou a sua primeira crise como treinador no Palmeiras

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

13 Novembro 2017 | 11h00

O técnico do PalmeirasAlberto Valentim, viveu uma semana especial. Até antes da partida contra o Corinthians, era elogiado pelos torcedores e o sonho do título era algo real. A derrota para o rival e para o Vitória fez com que a situação mudasse e o treinador teve seu nome entre os criticados pelas organizadas no protesto realizado neste domingo.

+Dudu revela estilhaço em jogador e diz entender protesto da torcida

“Foi uma semana em que trabalhamos mais. Foi uma semana que cada dia eu aprendi coisas novas e estou me fortalecendo. Estou vendo muitas coisas novas aqui no Palmeiras. Depois do clássico, ficou um gosto amargo, mas temos que trabalhar todos os dias e nos fortalecer cada dia mais”, comentou o treinador.

Sobre o protesto da torcida, o treinador minimizou o fato e preferiu destacar o apoio dos torcedores presentes no Allianz Parque. “Só lembrar que a nossa coletiva juntos foi para fortalecer a união e para chamar o nosso torcedor. Eles nos apoiaram muito diante do Flamengo. Quero aproveitar e convocá-los para nos ajudar novamente. Vamos precisar muito deles para o jogo com o Sport”.

+ Felipe Melo promete comemorar vitória com vinho e 'sem vazar áudio'

Valentim também elogiou a dedicação do atacante Deyverson, autor dos dois gols do Palmeiras na vitória sobre o Flamengo. “Quem está no dia a dia sabe o quanto ele se esforça e treina forte. Ele não deixou se abater quando eu preferi colocar o Willian no time. Isso é legal, pois dá confiança em saber que, se a gente precisar trocar jogadores no decorrer do jogo, ele dará sua contribuição. Por isso podemos falar em elenco forte”, comentou. 

+ Michel Bastos destaca domínio do Palmeiras e vê cobrança como algo positivo

 

Mais conteúdo sobre:
Palmeiras Alberto Valentim Felipe Melo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.