Rafael Ribeiro / vasco.com.br
Rafael Ribeiro / vasco.com.br

Valentim volta a prometer união para recuperar o Vasco no Brasileirão

"Temos que reagir rápido, porque não há o que esperar", disse o treinador, após a derrota para o Vitória, em Salvador

Estadão Conteúdo

09 Setembro 2018 | 21h52

Bem menos enfático do que em vezes anteriores, mais abatido e com a voz embargada, o técnico Alberto Valentim outra vez precisou se esforçar para explicar a quarta derrota seguida no comando do Vasco, neste domingo, no Barradão, diante do Vitória, por 1 a 0. Ele diz que gostou muito do comportamento do time e que o discurso após a derrota sofrida para o América-MG, na rodada passada, vale para todo o Campeonato Brasileiro.

"Nós vamos nos unir, trabalhar muito e com o apoio da torcida tirar o Vasco desta situação delicada na tabela. Temos que reagir rápido, porque não há o que esperar", garantiu de novo Valentim.

O técnico preferiu focar mais no lado positivo que viu dentro de campo, inclusive considerando o resultado injusto. "Não acho justo porque nós tivemos inúmeras chances de gol, com bola na trave, num chute de Pikachu, e defesas seguidas do Ronaldo (goleiro do Vitória)".

Valentim teve que justificar a opção por deixar Yago Pikachu no banco de reservas, mesmo sendo a principal opção ofensiva vascaína. "Ele é um dos jogadores que mais atuaram nesta temporada e precisa estar mais bem condicionado para exercer suas funções. Por isso, optamos por poupá-lo e depois o utilizamos no segundo tempo".

Sem Pikachu, o técnico pode escalar o time com três volantes e reforçou a marcação no meio-campo. "Reforçarmos o setor e ficamos com mais pegada, porém, sem deixar de jogar. O Vasco tentou o tempo todo fazer o jogo, embora tenhamos jogado melhor no segundo tempo".

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.