Werther Santana/Estadão
Werther Santana/Estadão

Valorização e regularidade fazem Arana ganhar moral no Corinthians

Lateral-esquerdo é o atleta mais cobiçado pelos europeus entre os jogadores corintianos

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

30 de junho de 2017 | 07h00

O lateral-esquerdo Guilherme Arana é visto pela diretoria e membros da comissão técnica do Corinthians como um dos atletas mais importantes do elenco por diversos motivos. A boa notícia para o técnico Fábio Carille é que o jogador estará de volta ao time na partida contra o Botafogo, domingo, e, por enquanto, não tem previsão de ser negociado. 

Arana é o jogador mais assediado por clubes europeus. Convocado para seleções de base e titular absoluto do Corinthians, o garoto de 20 anos já esteve nos planos do Atlético de Madrid-ESP, CSKA Moscou-RUS, Manchester United-ING, Bayer Leverkusen-ALE, Bordeaux-FRA, entre outros, mas a diretoria corintiana garante que ainda não recebeu qualquer oferta pelo jogador e que só aceitará negociá-lo caso surja uma oferta muito elevada.

Embora neguem que tenha qualquer contato com os franceses, o Bordeaux se mostrou disposto a pagar 11 milhões de euros (R$ 40 milhões) pelo lateral. Deste valor, o Bordeaux cederia os direitos econômicos de Pablo, que está emprestado ao Corinthians até o fim do ano, por 3 milhões de euros (R$ 11 milhões) e o restante pagaria em dinheiro, parcelado para o clube brasileiro. Até o momento, as conversas não avançaram.

Caso chegue a tão esperada proposta, a ideia da diretoria será segurar o lateral pelo menos até dezembro, para não atrapalhar os planos de Carille, que aposta no entrosamento da equipe para manter o time na ponta da tabela. 

Além da valorização, Arana também ganha importância para a comissão técnica por seu reserva não viver um bom momento. Moisés deixou a partida contra o Patriotas como um dos piores em campo e nas poucas oportunidades que teve na temporada, não consegue jogar o que se esperava dele. 

Notícias relacionadas
Tudo o que sabemos sobre:
CorinthiansFutebol

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.