Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

'Vamos continuar o trabalho para pensar em título', afirma Raí

Diretor de futebol diz que foi clara a evolução da equipe e se mostra otimista para a disputa do Brasileirão

Daniel Batista, O Estado de S.Paulo

22 de abril de 2019 | 11h00

De quase eliminado na fase de grupos, o São Paulo deixou o Campeonato Paulista como vice-campeão. Ao contrário de outras derrotas e fracassos recentes, o clima entre jogadores e comissão técnica foi muito mais de esperança e confiança em um futuro melhor do que lamentação pela perda da taça para o Corinthians. O diretor executivo de futebol do clube, Raí, disse que a equipe mostrou força até para brigar pelo título do Brasileirão.

“Vamos continuar o trabalho para estar entre os melhores e, claro, pensar em título. Temos um elenco e uma comissão técnica que estão prontos para se fortalecer ainda mais e fica clara a nossa evolução. A forma com que jogamos nos leva a crer que faremos um grande Brasileiro e voltaremos a ganhar os grandes jogos”, destacou o dirigente, lembrando que o São Paulo passou pelo Palmeiras com dois empates e ficou no 0 a 0 no primeiro jogo da final. 

Um dos líderes do elenco, Hernanes também preferiu adotar um discurso positivo, mas sem deixar de lamentar a perda do título. “Eles marcaram bem nossas tentativas de subidas, não conseguimos criar perigo e eles foram muito felizes com o belo passe do Sornoza para o gol do Vagner Love. Mas estamos de parabéns pelo campeonato que fizemos, principalmente na segunda fase. Agora é manter o foco para começar o Campeonato Brasileiro assim”, projetou o meia. 

Apesar da confiança no futuro, a perda do título para o Corinthians servirá como reflexão para os são-paulinos. Ainda nos vestiários da Arena Corinthians, os vice-campeões já deixavam claro os pontos que eles entendiam ser os motivos para não deixarem o estádio com a taça debaixo dos braços.

“É um dia de tristeza, claro, pois perdemos um campeonato em que fomos melhores no primeiro jogo, tivemos oportunidades de vencer, mas não conseguimos e a final se resolveu nos detalhes. Hoje (ontem) foram poucas chances, jogo nervoso e o que podemos dizer para o torcedor é que estamos tristes, mas vamos trabalhar e aprender com tudo isso”, disse Raí. 

Como era de se esperar, os jogadores deixaram o vestiário de Itaquera cabisbaixos. No gramado, Luan, Reinaldo e Antony foram alguns atletas que choraram com a perda do título. Um dos poucos jogadores que aceitou falar com a imprensa, Willian Farias destacou a boa estratégia de Cuca, apesar da derrota. “O jogo mandava que a gente se fechasse um pouco mais no começo e por isso entramos com uma postura um pouco diferente do habitual”, explicou. 

Os problemas físicos também foram lembrados como justificativa para a queda em Itaquera. Pablo e Liziero não puderam jogar, ambos machucados, e Hernanes estava voltando de contusão, por isso precisou iniciar no banco de reservas. “Não dá para negar que o excesso de contusões de jogadores importantes atrapalhou bastante o nosso planejamento”, lamentou o diretor executivo. 

Uma das novidades apresentadas por Cuca para tentar surpreender foi colocar Hernanes como referência na área, algo que não surtiu efeito. “Entrei com essa função, de falso 9, para tentar fazer o time sair um pouco mais e controlar o jogo, porque o Corinthians estava dominando”, explicou o meia. 

SEM MEDALHAS

Após o apito final, os jogadores do São Paulo deixaram o gramado e a ideia era não receber medalhas e troféu pelo vice-campeonato. A postura gerou polêmica, mas após conversa com Raí, os atletas decidiram retornar ao campo e participaram das festividades. “Eles estavam chateados e não sabiam o que era para ser feito”, justificou Raí. Os jogadores voltaram ao gramado 15 minutos depois de terem saído.

“A princípio, estávamos chateados com a perda e retornamos depois de uma partida como essa, ficar chateado, mas voltamos”, explicou Hernanes. “A gente saiu triste, porque batalhamos até o final e levamos o gol no ‘finalzinho’”, completou Willian Farias.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.