Vampeta apóia ACM e o chama de pai

O senador Antonio Carlos Magalhães (PFL-BA) recebeu mais uma manifestação de solidariedade. Desta vez, do jogador Vampeta, do Paris Saint-Germain, que está com a seleção brasileira em Tóquio. Do outro lado do mundo, o atleta baiano vem acompanhando pela Internet e pela TV Globo Internacional as últimas notícias de Brasília. Convicto de que ACM não pode ser acusado pela violação do painel eletrônico do Congresso, que registrou os votos da sessão de cassação do mandato de Luiz Estevão, Vampeta telefonou para o senador, ainda em Paris, pouco antes da viagem para a capital japonesa, há uma semana. "Ofereci minha imagem a ele para que pudesse ajudá-lo", contou Vampeta, para quem ACM é um símbolo da política nacional.No dia da ligação, o senador estava na casa do governador César Borges (PFL) e conversou bastante com o jogador. Perguntou-lhe se já havia casado e como estava a vida em Paris. Vampeta reiterou que ACM não cometeu crime de desvio de dinheiro público e que, por isso, não poderia ter um tratamento idêntico ao de Estevão. O jogador defende a renúncia do senador para que se evite a suspensão de seus direitos políticos. "Ele vai vir como forte candidato ao governo do Estado." A relação de amizade entre Vampeta e ACM dura mais de cinco anos e se fortaleceu ano passado, quando o senador ajudou nos custos da reinauguração do cinema que pertence ao volante, no interior da Bahia."Eu o considero como meu pai. Para nós, baianos, ele não pode ficar fora da política." A oposição a ACM em Salvador, com protestos de estudantes e sindicalistas, favoráveis à sua cassação, é desprezada por Vampeta. O gesto de gratidão ao senador foi feito também por Gal Costa, a escritora Zélia Gattai e o ex-piloto Emerson Fittipaldi, entre outros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.