Vampeta comemora quebra de jejum, mas prega cautela

Volante corintiano diz que ainda faltam oito rodadas para tirar equipe da zona do rebaixamento

07 de outubro de 2007 | 18h40

O folclórico Vampeta comentou a vitória por 1 a 0 sobre o São Paulo, neste domingo, que acabou com o jejum de 14 jogos. De acordo com o jogador, o resultado é muito importante.   Veja também: Classificação Calendário / Resultados Vitória no clássico dá moral para o Corinthians fugir do rebaixamento? Derrota para o Corinthians pode abalar o São Paulo na reta final do Brasileirão? Volante corintiano sai desacordado de campo no clássico Vampeta comemora quebra de jejum, mas prega cautela Nelsinho Baptista animado com recuperação do Corinthians Alex Silva diz que o São Paulo 'desrespeitou' o Corinthians Zagueiro Betão diz que choro não foi desabafo Muricy Ramalho diz que empate seria o resultado mais justo   "A vitória é muito importante porque não vencíamos eles [São Paulo] havia quatro anos", disse o jogador, que pediu cautela. "Ainda faltam oito rodadas, e só depende de nós para sair desta situação".   Sobre suas brincadeiras para com outros clubes, Vampeta deixou claro que agora não era o momento certo para cutucar o São Paulo. "O Corinthians é maior que o Vampeta. Eu sempre brinquei com as decisões, mas agora é uma situação diferente, e não seria burro em brincar com o São Paulo, que é praticamente campeão, sendo que o Corinthians tenta escapar do rebaixamento."   Ainda sobre a quebra do jejum, Vampeta enfatizou que a vitória diante do São Paulo tem que servir de moral para as oito rodadas restantes. "A gente sabe que, para o torcedor corintiano, é a quebra de um jejum de quatro anos. Eu até ouvi uma brincadeira da torcida, dizendo que o São Paulo será o campeão, mas não em cima de nós. A gente sabe que ainda faltam oito rodadas. Pelo menos a gente coloca alguns clubes na luta, como o Botafogo, o Vasco da Gama. O vento que sopra aqui também sopra para eles. E teremos confrontos diretos."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.