Vampeta volta a campo com visual grotesco

No festivo vestiário do Corinthians no estádio Brinco de Ouro, após a vitória por 1 a 0 sobre o Guarani, neste domingo, um jogador tinha motivos especiais para comemorar: Vampeta, agora com novo visual, um corte grotesco ao estilo samurai. Depois de quase oito meses sem iniciar uma partida oficial, o volante entrou em campo como atração.Os 237 dias de recuperação da torção no joelho esquerdo o deixaram mais gordo e sem ritmo. O suficiente para suportar 72 minutos e deixar o gramado satisfeito: "Fui até enquanto agüentei. Corri bastante e acho que o resultado foi muito bom porque jogamos muito tempo com um a menos (Fabrício foi expulso aos 25 minutos do primeiro tempo)", explicou Vampeta, que jamais perdeu, em 13 jogos, contra o time campineiro.A vitória apertada também foi comemorada pelo capitão Rogério, acreditando que o time "está no caminho certo e tem tudo para terminar o campeonato de forma digna". O Corinthians tem 58 pontos, em 13º lugar. Ele também citou que as vitórias seguidas poderão dar a tranqüilidade para o jovem elenco corintiano. Rogério tem razão. Desde o dia 1º de junho o Corinthians não vencia dois jogos consecutivos no Campeonato Brasileiro. Nessa data goleou o Paraná, por 4 a 0, e antes tinha vencido o Juventude, por 3 a 0, ambos em São Paulo. O próximo jogo do Corinthians será diante do Bahia, dia 30, no Pacaembu.O falante técnico Juninho Fonseca comemorou a vitória cercado por muitos amigos da cidade onde mora. Ele enalteceu o "espírito de luta dos jogadores, que se superaram para suprir a ausência de Fabrício", expulso ainda no primeiro tempo.Revolta - Do lado do Guarani, sobrou a revolta da torcida sobre seus jogadores que perderam o segundo jogo consecutivo em casa - antes tinham perdido para o São Caetano, por 1 a 0. Os torcedores chamaram os jogadores de mercenários, ainda como reflexo da greve realizada há 10 dias por atrasos de salários, questão já resolvida pela diretoria.O técnico Barbieri, porém, preferiu analisar o desempenho do time. "Viu em campo um time nervoso, intranqüilo e fazendo a ligação direta entre a defesa e o ataque". O time terá, agora, que buscar a reabilitação diante do Atlético-PR, sábado, em Curitiba.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.