Van Basten diz que pediu atenção para evitar expulsões

Momentos depois dos ânimos esfriarem, o treinador da seleção holandesa, Marco van Basten, disse que havia pedido aos seus jogadores mais atenção para evitarem expulsões na derrota para Portugal por 1 a 0, neste domingo, pelas oitavas-de-final da Copa do Mundo da Alemanha.Segundo o ex-jogador, o alerta foi feito no vestiário durante o intervalo do jogo. "Eu disse para eles que tivessem cuidado, pois muitas vezes quando uma equipe tem um cartão vermelho, a outra também acaba tendo alguém expulso", disse Van Basten, lembrando o exclusão do português Costinha no término da primeira etapa.O comandante também respondeu às críticas do brasileiro Luiz Felipe Scolari, que o culpou de falta de "fair play". "É preciso ter cuidado para se falar de jogo limpo. Os portugueses perderam muito tempo dando pontapés. No segundo tempo, houve pouco futebol e isso é uma pena."Van Basten também atacou o juiz russo Valentin Ivanov. "É uma pena que um árbitro de uma partida tão importante como essa tome decisões desta maneira. Tentamos jogar com dez contra dez, mas a cada minuto havia uma falta. É lamentável".Já o meia Mark van Bommel foi mais duro. "Foi incrível. Ele me deu cartão amarelo aos 2 minutos do primeiro tempo. Era um momento importante, porque depois a cada jogada ele mostrava um cartão. Quando tínhamos um homem a mais, Figo me deu uma cabeçada e ele deveria tê-lo expulsado. Mas depois expulsou Boulahrouz, do nosso time. Foi incrível", desabafou.O goleiro e capitão Edwin van der Sar preferiu culpar o seu time pela eliminação. "Esta foi a partida das oportunidades perdidas. Nós tínhamos que ter aproveitado as primeiras chances de gol, mas deixamos passar. Na última parte do jogo, quando ainda estávamos com um jogador a mais, acredito que nos afobamos demais", disse o jogador do Manchester United.Ainda conforme Van Basten, a Holanda não merecia a eliminação porque estava evoluindo na competição. "No começo, estávamos mostrando um bom rendimento, diante de grandes rivais como a Argentina. A diferença entre Portugal e nós, foi que eles tiveram mais experiência para destruir o jogo e perder tempo", discursou."Tentamos de tudo, criamos oportunidades. Mesmo com todos os portugueses na área, investimos em jogadas aéreas. Tenho que felicitar a minha equipe por ter trabalhado até o último minuto, mesmo não tendo sorte de marcar um gol. É uma desilusão. Não pensávamos em ganhar a Copa, mas esperávamos chegar às quartas-de-final", completou.Para fugir do sofrimento da eliminação, Marco van Basten aposta no futuro. "Não dava para ter grande expectativa sobre minha equipe porque ela é muito jovem. Mas aceitamos com prazer o rótulo de favoritos para a Eurocopa (2008, na Suíça e Áustria)", analisou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.