Alex Silva|Estadão
Alex Silva|Estadão

Vanderlei e Gabriel celebram protagonismo na façanha do Santos

Goleiro pega dois pênaltis e atacante marca dois gols

Ciro Campos, O Estado de S. Paulo

25 de abril de 2016 | 07h00

A classificação do Santos para mais uma final do Paulista, que parecia tranquila mas acabou sendo sofrida, teve dois personagens principais. Um é atacante; o outro é goleiro. Gabriel foi o autor dos gols que dava ao time uma tranquila vitória por 2 a 0. Vanderlei “salvou a pátria’’ nos pênaltis, depois de a equipe ter se complicado nos minutos finais. 

Vanderlei se realizou neste domingo, quatro meses depois de levar um gol do goleiro adversário e ver o título da Copa do Brasil escapar. Mesmo sem bater pênaltis, o santista inverteu o papel de protagonista com Fernando Prass, ao ser o herói da decisão, com duas defesas. E ainda viu o adversário perder. “Antes das cobranças, fui até o Vanderlei e falei: ‘Você vai pegar três pênaltis e será decisivo’”, contou Dorival Júnior.

A vitória sobre o Palmeiras na semifinal abre caminho para o goleiro, jogador discreto em um elenco de estrelas ofensivas, conquistar o primeiro título como titular do Santos. Vanderlei foi contratado no ano passado, mas ficou fora da fase final do Estadual por estar com uma fratura na face.

 

“A gente não merecia ir para os pênaltis pelo jogo que fizemos. Mas estava tranquilo e tinha a certeza que saíramos com a vitória”, afirmou. Gabriel, artilheiro no ano com oito gols, provou novamente o quanto tem amadurecido. Aos 19 anos, foi útil também no auxílio à marcação.

O atacante saiu de campo minutos antes do Palmeiras iniciar a reação. O empate em dois minutos, segundo o técnico santista, veio mais pelo acaso do que por vacilo. “Foram jogadas isoladas. Seria injustiça se o Santos fosse eliminado”, afirmou.

Com Gabriel eficiente no ataque e Vanderlei decisivo na defesa, o Santos reforçou a hegemonia estadual. O clube vai para a nona decisão nas dez últimas edições. Por ter a melhor campanha, será o mandante no jogo de volta contra o Audax e faz questão de atuar na Vila.

A definição dos mandos de campo será em reunião hoje na sede da FPF. A tendência é a primeira partida ser em Osasco, no próximo domingo, e a finalíssima ser disputa na Vila Belmiro, no dia 8 de maio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.