Vanderlei Luxemburgo descarta ´olé´ no embalado Santos

A boa fase no Campeonato Paulista, em que é líder isolado e com o melhor ataque, parece não ter afetado a humildade do Santos. Além de dizer que seu time não é o maior favorito ao título, Vanderlei Luxemburgo por exemplo, descartou a "obrigação" de dar espetáculos. Pelo contrário, o técnico fez questão de condenar a atitude de alguns atletas que procuram humilhar os adversários com dribles desnecessários ou passando o pé sobre a bola quando suas equipes estão vencendo. Não quis citar nomes ou jogadores, mas provavelmente se referiu ao que aconteceu no clássico entre São Paulo e Corinthians, no último domingo - Leandro provocou a expulsão do alvinegro Magrão ao driblá-lo e parar à sua frente em seguida."O drible improdutivo, a palhaçada, não ajuda em nada. Se você pegar os grandes jogadores, como Pelé, Maradona, Cruyff e Zico, tantos e tantos outros, verá que eles nunca driblaram para humilhar", disse o técnico. "Garrincha era exceção. Sua característica era dar um, dois, três dribles seguidos e voltava para trás, até desestabilizar o adversário que lhe dava uma porrada e era expulso. Cheguei a treinar contra ele, mas não dei porrada porque não consegui achá-lo", relembrou."Acho o drible fundamental e meus atletas estão liberados para driblar e fazer jogadas de efeito, mas com eficiência, indo em direção ao gol. Cansei de pedir para o Robinho não driblar para o lado. Mas tem alguns jogadores que fazem de sacanagem, uma palhaçada que não tem nada a ver com o futebol", concluiu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.