Carl Recine/Reuters
Carl Recine/Reuters

VAR anula gol de Gabriel Jesus no fim e City e Tottenham empatam no Inglês

Igualdade em Manchester deixou o Liverpool e o Arsenal como os únicos a terem 100% de aproveitamento no torneio até aqui

Redação, Estadão Conteúdo

17 de agosto de 2019 | 16h04

Em um dos melhores jogos deste início do Campeonato Inglês, com direito a belos gols, protagonismo de brasileiros e interferência do árbitro de vídeo nos acréscimos, Manchester City e Tottenham empataram por 2 a 2 neste sábado, no Etihad Stadium, pela segunda rodada do Campeonato Inglês.

A igualdade em Manchester deixou o Liverpool e o Arsenal como os únicos a terem 100% de aproveitamento no torneio até aqui - O Manchester United ainda joga na rodada e, como venceu seu primeiro jogo, também pode chegar aos seis pontos. Vencedores dos seus primeiros duelos na competição, Manchester City e Tottenham se juntam a Everton, Bournemouth e Brighton no grupo dos times que somam quatro pontos.

O Tottenham mostrou mais uma vez que é uma pedra no sapato do City, vítima da equipe londrina nas quartas de final da última edição da Liga dos Campeões. Neste sábado, o roteiro foi o mesmo de quando o time do técnico Guardiola joga em casa: pressão intensa no adversário, posse de bola muito superior e massacre incrível no número de finalizações (30 contra apenas três do rival).

No entanto, os visitantes foram letais e balançaram as redes nas únicas duas vezes que acertaram o gol, enquanto que a equipe de Manchester, apesar da ampla superioridade, cometeu falhas defensivas e não estava com o pé calibrado.

Aos 20 minutos, Sterling, um dos principais jogadores do City na última temporada, apareceu livre na segunda trave para completar de cabeça para o gol o cruzamento perfeito de De Bruyne e deixar os mandantes em vantagem. Famintos, os comandados de Guardiola seguiram no ataque, mas uma brecha defensiva recolocou o Tottenham no jogo.

Três minutos depois de sair atrás do marcador, Lamela recebeu no meio e teve espaço para conduzir e disparar um chute preciso da intermediária para empatar. O argentino aproveitou o posicionamento ruim do goleiro brasileiro Ederson, que não foi capaz de defender o arremate no meio do gol.

A igualdade permanece pouco tempo no placar. Exatos nove minutos, até De Bruyne achar mais um companheiro livre a fim de balançar as redes. Desta vez, o meia belga cruzou rasteiro para Agüero desviar para o gol e recolocar o City em vantagem.

Na etapa final, o panorama de pressão dos donos da casa, mesmo vencendo, seguiu. Foram várias finalizações ao gol de Lloris, que levou sorte em algumas e foi competente em outras para salvar sua equipe. Até que Lucas saiu do banco para substituir Winks e mudar a história da partida. O brasileiro pisou em campo aos 10 minutos. Aos 11, em sua primeira participação, ele, mesmo baixo, se antecipou à marcação de Walker e cabeceou bonito para deixar o jogo novamente empatado.

O City intensificou a pressão a partir do gol sofrido, mas não era dia de sair de campo com vitória. Nos acréscimos, Gabriel Jesus, que entrara no lugar de Agüero - o argentino deixou o campo insatisfeito e bateu boca com Guardiola - teve um gol anulado com o auxílio do VAR, o segundo seu no torneio, em razão de um toque no braço de Laporte no início do lance.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.