Vascaíno não tira as dúvidas da CPI

Terminou agora há pouco o depoimento do vice-presidente de Finanças do Vasco da Gama, Mário Cupello, na CPI do Futebol. Segundo o relator da comissão, senador Geraldo Althoff (PFL-SC), a principal preocupação da CPI foi com a "falta de memória e a maneira evasiva que o depoente (Cupello) respondeu aos questionamentos". Mário Cupello não soube responder sobre a transferência de R$ 12,5 milhões que, segundo a CPI, teriam sido aplicados no exterior. O que a comissão não sabe é em nome de quem ou de que instituição o dinheiro foi aplicado, porque o Cupello diz desconhecer a transação.Ao final do depoimento do vice-presidente de Finanças do Vasco, o presidente da CPI, senador Álvaro Dias (PSDB-PR), afirmou que "a estrutura administrativa do futebol brasileiro é verdadeiramente a arquitetura da farsa". Segundo o parlamentar, "tanto a eleição para a direção dos clubes como dos conselhos e cargos diretivos desses clubes são logros". O senador ainda defendeu a necessidade de se estabelecer uma nova legislação para o futebol do Brasil. "O quando antes", sugeriu ele.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.