Vasco abre guerra contra Petkovic

As portas de São Januário estão fechadas para o meia Petkovic. De acordo com o presidente do Vasco, Eurico Miranda, o Ministério do Trabalho foi comunicado do rompimento de contrato e o advogado do clube, Marcos Motta, vai comunicar para a Fifa sobre a atitude do jogador sérvio, que pediu demissão para jogar no futebol chinês."Quando o dinheiro está em primeiro lugar dá para entender o que ele fez. E o fato de ele ter entrado na Justiça pedindo o passe não me surpreendeu. Isso é tão comum hoje em dia", afirmou Eurico Miranda, referindo-se à liminar impetrada por Petkovic na Justiça do Trabalho, pedindo a liberação do passe. Nesta quinta-feira, o pedido do sérvio foi deferido, desde que ele deposite em juízo R$ 1,5 milhão referentes à rescisão contratual com o Vasco.Eurico Miranda, porém, disse que o valor estipulado pela Justiça não o satisfaz. "Isso é só uma caução pela decisão dele. Ainda quero o pagamento de uma indenização", explicou o presidente do Vasco, garantindo que Petkovic dificilmente voltará a atuar no Brasil. "Tirar o visto não é tarefa fácil e ele o perdeu quando pediu demissão." O presidente vascaíno lembrou que Petkovic só poderia rescindir o contrato de forma unilateral caso pagasse algo em torno de R$ 12 milhões.Reforço - Sobre um possível retorno do atacante Edmundo ao clube, Eurico Miranda foi enfático. "Há uma ação dele contra o Vasco e enquanto isso não for superado não haverá conversa", afirmou o presidente. Ele admitiu dever dinheiro ao jogador, mas negou que a quantia chegue aos R$ 14 milhões pedidos por Edmundo."Ele diz que ama o Vasco. Porém, coloca o dinheiro em primeiro lugar. Se eu fosse jogador de nível, jogaria de graça pelo clube", disse Eurico Miranda sobre Edmundo. Para o dirigente, bastaria um encontro entre os advogados de ambas as partes para que todo o caso fosse solucionado e o atleta voltasse a vestir a camisa vascaína.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.