Vasco admite preocupação com arbitragem de domingo

A chiadeira sobre a arbitragem sempre cresce na reta final de Campeonato Brasileiro. Por conta da dramaticidade exacerbada dos confrontos, erros são realçados e a conta por fracassos recai sobre os árbitros. No ano passado, um pênalti marcado por Sandro Meira Ricci (DF) contra o Cruzeiro e a favor do Corinthians foi motivo de inflamados debates. O mesmo árbitro vai apitar um duelo crucial para o desenrolar da competição deste ano, o Vasco x Corinthians deste domingo, em São Januário.

LEONARDO MAIA, Agência Estado

29 de setembro de 2011 | 18h37

No duelo que vale a primeira colocação do Brasileirão, o líder Vasco, que tem dois pontos a mais do que o segundo colocado Corinthians, admite preocupação com a arbitragem. "Queremos uma arbitragem neutra. Espero que ela esteja a altura da qualidade e da importância do jogo", cobrou o presidente do clube carioca, Roberto Dinamite. "Que o juiz tenha um bom jogo e possa sair aplaudido."

No Vasco, o sentimento é de desconforto. Ninguém fala abertamente, mas a crença é de que a influência do presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, junto ao presidente de CBF, Ricardo Teixeira, pode fazer pender a balança para o lado corintiano em momentos de dúvida na partida de domingo. Os cartolas vascaínos, porém, não falam em premeditação.

"Não enxergo fantasmas, mas às vezes falta bom senso. Tem cabimento colocar o Altemir Hausmann para bandeirar este jogo depois que ele anulou dois gols nossos contra o Figueirense?", ponderou o diretor executivo do Vasco, Rodrigo Caetano, citando partida que terminou em 1 a 1, em Florianópolis.

Apesar das polêmicas com arbitragem, o goleiro Fernando Prass, um dos líderes do elenco vascaíno, pede que seus companheiros se concentrem no jogo e evitem a irritação com possíveis erros do árbitro. Mas ele também não fica sem deixar o seu recado: "Às vezes, acontecem coincidências estranhas. Vamos esperar que não ocorram dessa vez".

Tudo o que sabemos sobre:
futebolVasco

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.