Marcelo Sadio/Divulgação
Marcelo Sadio/Divulgação

Vasco adota cautela para a estreia na Copa do Brasil

Time enfrenta o Nacional, que eliminou Ponte Preta e Coritiba, nas oitavas de final

LEONARDO MAIA, Agência Estado

20 de agosto de 2013 | 08h05

RIO - Dirá o torcedor em geral que o Vasco deu sorte no sorteio das oitavas de final da Copa do Brasil. Enquanto rivais como Flamengo e Botafogo pegaram Cruzeiro e Atlético Mineiro, o time cruzmaltino se viu diante do Nacional, de Manaus. A princípio, um adversário insignificante. Mas é bom ter cuidado, o oponente desta terça-feira, na partida de abertura da nova etapa da competição, às 21h50 (de Brasília), no estádio do Sesi, deixou pelo caminho a Ponte Preta e o Coritiba, equipes da Série A.

Vale destacar em particular o perigo do jogo de ida para os vascaínos. Contra o Coritiba, sexto colocado do Campeonato Brasileiro, o Nacional impôs um sonoro 4 a 1. Contra a Ponte Preta, duas vitórias. "Precisamos de um bom resultado, mas será um jogo complicado, contra um adversário que eliminou duas equipes com campanhas equilibradas no Brasileiro", alertou o técnico Dorival Júnior.

Apesar de atuar como visitante, o Vasco terá grande apoio em Manaus. Depois de a delegação ser recebida por bom número de torcedores na madrugada desta segunda no aeroporto, cerca de mil torcedores e curiosos acompanharam o leve treino em um clube da capital amazonense. "É um carinho diferente. Acho que o torcedor (manauara) merecia ver mais vezes o Vasco, o clube deveria fazer mais amistosos", opinou o atacante Eder Luís.

Depois da derrota para o Grêmio, pelo Brasileirão, no último sábado, o treinador não quer um novo revés para evitar uma situação de pressão contra o Corinthians, no domingo, novamente pelos pontos corridos, quando atuará em Brasília. "Precisamos nos recuperar", decretou Dorival Júnior.

O meia Juninho Pernambucano seguirá seu planejamento habitual, de atuar apenas uma vez por semana. Depois de jogar no sábado, ficará de fora do jogo desta terça, também em virtude da longa viagem à capital de Amazonas. De toda forma, os cruzmaltinos garantem que o Brasileirão não está sendo priorizado, nem o inverso. "Temos o caso excepcional do Juninho, de não atuar em todas as partidas, mas tudo está programado", comentou o presidente Roberto Dinamite, à rádio Brasil.

A mensagem foi recebida: "Vamos atrás dos dois campeonatos. Vamos ter calma, continuar brigando e trabalhando para alcançar nossos objetivos", disse Dorival Júnior. O atacante André também deve ser poupado, dando lugar a Carlos Tenório. Na zaga, Jomar deve ocupar a vaga de Rafael Vaz.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCopa do BrasilVasco

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.