Vasco afunda o Flamengo na crise

Mais importante do que vencer o arquirrival Flamengo por 2 a 1, neste sábado, foram os três pontos que o Vasco conquistou e o afastaram da zona de rebaixamento no Campeonato Brasileiro. E, surpreendentemente, os jogadores deram o exemplo em campo e fizeram uma partida amistosa, ao contrário dos torcedores, que repetiram em São Januário as cenas de violência tão comuns quando o jogo ocorre no Maracanã.Com o triunfo, o Vasco totalizou, em 32 jogos, 39 pontos na tabela de classificação, enquanto o Flamengo permaneceu com 34, com o mesmo número de partidas.Melhor posicionado em campo, o Vasco abriu o marcador logo aos 5 minutos do primeiro tempo com um gol contra do zagueiro Júnior Baiano, que atrapalhadamente tentou cortar um cruzamento e atrasar a bola, de peito, para o goleiro Diego. O árbitro Evandro Rogério Roman, no entanto, deu o gol para o lateral-direito vascaíno Wágner Diniz.A vantagem parcial permitiu aos vascaínos optarem pelos contra-ataques e, em um deles, o zagueiro Anderson do Ó sofreu pênalti, mas o juiz não assinalou a infração.Mas, aos 36 minutos, enquanto o Flamego desperdiçava a oportunidade de empatar o confronto com uma bola de Diego Souza no travessão, o artilheiro Romário aproveitou um cruzamento do zagueiro Fábio Braz, dominou a bola na entrada da pequena área e chutou para ampliar a vantagem vascaína.Inconformada com a derrota do Flamengo, grupos de torcedores de facções organizadas começaram uma briga com os policiais militares e a torcida vascaína nas arquibancadas de São Januário. Sprays de pimenta e gás lacrimogênio foram usados pela polícia militar para controlar o tumulto.A briga prosseguiu nas arquibancadas com a troca de morteiros entre ambas torcidas. Quinze pessoas ficaram feridas e quatro pessoas foram levadas para o hospital, com queimaduras e escoriações. O caso mais grave, foi uma suspeita de fratura na tíbia do torcedor identificado como Melquisedeque, de 23 anos.Alheios à briga nas arquibancadas, os jogadores do Flamengo voltaram mais determinados para o segundo tempo e, diante de um Vasco acomodado, passaram a criar oportunidades ofensivas. Aos 17 minutos, o árbitro chegou a marcar um pênalti a favor do time da Gávea, mas o auxiliar Roberto Braatz alegou que o meia Fellype Gabriel estava impedido. Mas, de tanto pressionar, o Flamengo fez seu único gol, aos 22 minutos, depois que o atacante Ramírez aproveitou uma falha da defesa vascaína. A possibilidade de deixar a vitória escapar acordou o Vasco que passou a desperdiçar várias oportunidades de gol com o atacante Alex Dias e o meia Róbson Luis.

Agencia Estado,

22 de outubro de 2005 | 17h59

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.